Francisco explica que partilhar os sonhos é praticar «a cultura do encontro», à Semana Social francesa

Cidade do Vaticano, 27 nov 2021 (Ecclesia) – O Papa Francisco disse que sonha com um “mundo zeloso da criação e solidário com os mais frágeis”, numa mensagem aos participantes da Semana Social francesa, convidando a “não ter medo de sonhar”, para ser possível “uma nova realidade”.

“Partilhar os sonhos significa colocar em prática a cultura do encontro. Torna-se urgente pensar em um futuro, que leve as pessoas a viver na esperança”, explica o Francisco, no contexto da pandmeia Covid-19, divulga o portal ‘Vatican News’.

Na mensagem, assinada pelo secretário de Estado do Vaticano, cardeal Pietro Parolin, o Papa afirma que os cristãos têm de “levar ao mundo esta linda virtude, num momento decisivo para o futuro”.

“A esperança deve ser corajosa, deve ir para além dos comodismos pessoais e abrir-se para os grandes ideais, que tornam a vida mais bela e digna; Uma sede, aspiração, desejo em plenitude de uma vida promissora, que enche o coração e eleva o espírito às grandes realizações como a verdade, o bem, a beleza, a justiça e o amor”, desenvolveu, recordando a sua Encíclica ‘Fratelli tutti’.

‘Ousemos sonhar com o futuro. Cuidemos das pessoas e da terra’ é o tema do 95.º encontro anual das Semanas Sociais na França, que começou esta sexta-feira, na modalidade online, e termina em Versalhes, este domingo.

O Papa começou a sua reflexão a partir de uma citação do arcebispo brasileiro D. Hélder Câmara: “Quando sonhamos sozinhos é apenas um sonho; mas quando sonhamos com os outros, tem início uma nova realidade”.

“Não devemos ter medo de sonhar sobretudo se este sonho for partilhado e realizado juntos”, destaca Francisco.

Um sonho de um mundo que seja capaz de preservar a sua “riqueza cultural” e fazer “resplandecer a beleza humana, em seus diversos aspetos”, acrescentou, desejando que uma sociedade que defenda “com zelo” a criação e acolha a “mensagem do Evangelho”.

“Sonho com um mundo zeloso da Criação e solidário com os mais frágeis”, explicou.

O Papa incentiva os participantes das Semanas Sociais da França a “apoiar, defender e promover o cuidado da criação e das pessoas mais frágeis”, como também o “desenvolvimento integral de cada pessoa, sobretudo na sua dimensão espiritual fundamental”.

O ‘Vatican News’ informa que as Semanas Sociais na França tiveram início em 1904, atualmente são organizadas por Dominique Quinio, que foi diretora do diário católico francês ‘La Croix’ de 2005 a 2015.

CB

Partilhar:
Share