Francisco assinalou visita do Papa João Paulo II a Cuba, de 21 a 25 de janeiro de 1998

Foto: Vatican Media

Cidade do Vaticano, 16 jan 2023 (Ecclesia) – O Papa incentivou os cubanos a continuarem a caminhar “juntos na esperança”, recordando as “raízes cubanas e cristãs”, numa carta que recorda os 35 anos da vigem apostólica de João Paulo II a Cuba.

“Um novo impulso para continuar construindo o futuro desta nação com esperança e determinação”, é o que Francisco espera que dê esta memória da visita do Papa polaco, realizada de 21 a 25 de janeiro de 1998, divulgou o portal ‘Vatican News’.

A carta do Papa foi levada para a Cuba pelo cardeal Beniamino Stella que, durante a viagem apostólica de São João Paulo II, era núncio apostólico (embaixador da Santa Sé), portanto, uma “testemunha privilegiada daquele evento”, destaca Francisco, que saúda o arcebispo de Havana, cardeal Juan de la Caridad García Rodríguez, os bispos cubanos e todos os fiéis.

Francisco citou a mensagem de João Paulo II aos jovens cubanos, no dia 23 de janeiro de 1998, na cidade de Camagüey, que pedia para enfrentarem “os grandes desafios do momento presente com força e temperança, com justiça e prudência”, e que voltassem “às suas raízes cubanas e cristãs”.

Regressar às “raízes cubanas e cristãs” é voltar àquela identidade que “gerou e continua gerando a vida” em Cuba.

“Estas raízes foram fortalecidas, permitindo-nos vê-las crescer e florescer no testemunho de muitos de vocês que trabalham e se sacrificam todos os dias pelos outros, não só pelas suas famílias, mas também pelos vizinhos e amigos, para todas as pessoas e sobretudo pelos mais necessitados”, desenvolveu

O Papa agradeceu aos cubanos por serem um exemplo de colaboração e ajuda recíproca, que revela um espírito “aberto, acolhedor e solidário” e convidou-os a continuarem a caminhar “juntos na esperança”.

“Sabendo que, e sobretudo no meio da adversidade e do sofrimento, Jesus e sua Mãe os acompanham, os ajudam a carregar a cruz e os consolam com a alegria da ressurreição”, acrescentou Francisco.

Depois de São João Paulo II, em 1998, também o Papa Bento XVI esteve nesta ilha do Caribe, em 2012; Cuba recebeu Francisco, na sua décima viagem apostólica, em 2015, a caminho dos EUA.

CB/OC

Partilhar:
Share