D. José Ornelas deixou alerta na celebração do Corpo de Deus

Setúbal, 12 jun 2020 (Ecclesia) – O bispo de Setúbal uniu-se esta quinta-feira às vozes que condenam “o racismo, a injustiça e a exclusão”, sublinhando que estas não têm lugar na Igreja Católica.

“A Eucaristia é a expressão do sonho de Deus de fazer chegar a toda a humanidade o pão da dignidade, da solidariedade e da vida e o vinho da generosidade, da alegria, do amor. Não se pode participar na Eucaristia e ser racista, não se pode partilhar o pão de Deus e dizer a um irmão que se senta ao meu lado ‘vai para a tua terra!’. A Eucaristia faz da Igreja um laboratório do mundo segundo o projeto de Deus”, disse D. José Ornelas, na homilia da solenidade do Corpo de Deus, a que presidiu na Catedral sadina.

O responsável católico apontou depois à dimensão solidária nas comunidades católicas, afirmando que devem ser “gente que partilha, que multiplica, que distribui”.

Camara

Foto: Diocese de Setúbal

“Nos tempos que estamos a viver, esta dimensão será muito importante, para que ninguém fique abandonado e o necessário para viver”, acrescentou.

D. José Ornelas recordou que esta solenidade do Corpo de Deus é celebrada, em 2020, “ainda de contenção, mas, também, num processo de saída do grande confinamento”, falando num momento de “transição”.

“É tempo de voltarmos à comunidade. Foi necessário o confinamento, mas, com responsabilidade e em segurança, temos de refazer os laços de fraternidade que o Senhor cria com o seu Corpo e Sangue, geradores de vida, de comunhão e de missão”, apelou.

OC

Partilhar:
Share