Organismos católicos divulgaram ação conjunta para 2021, um ano «crucial para a Europa»

Bruxelas, 17 fev 2021 (Ecclesia) – As Comissões Europeias Justiça e Paz apelam ao diálogo “como uma chave para uma transição justa”, num ano que consideram “crucial para a Europa”, após o ‘Brexit’.

“O verdadeiro diálogo mantém a liderança e a escuta, a unidade e a diversidade, em equilíbrio. É o método que cria a confiança necessária para lidar com as crises, focando no bem comum e não no denominador comum mínimo”, lê-se no documento enviado hoje à Agência ECCLESIA.

A Conferência das Comissões Europeias de Justiça e Paz lança sua ação conjunta anual, no início da Quaresma 2021, e apela ao diálogo “como uma chave para uma transição justa”.

A ação vai explorar “antigas e novas formas de diálogo” como a chave para uma futura Europa comum e fecunda, um futuro que “inclui e cuida de todos os povos e nações europeias”, estejam ou não na União Europeia.

O impacto da Covid-19 é considerado “um ponto de viragem”, que mostrou a necessidade e desejo de mudança, e as comissões observam que o pacote financeiro conjunto da União Europeia (UE) permite uma “solidariedade financeira real” com os países e regiões mais gravemente afetados pela crise económica e social provocada pela pandemia.

“Os líderes da UE demonstraram que as negociações multilaterais, embora difíceis, podem transcender as diferenças”, assinalam.

Os organismos católicos lembram que este é o primeiro ano após o ‘Brexit’ – a saída do Reino Unido da União Europeia, que foi oficializada na noite de 31 de janeiro de 2020 – sendo “crucial para reconstruir conexões positivas” entre o Reino Unido e os seus países vizinhos.

“A União Europeia é convidada a repensar o seu papel na Europa e no mundo, as suas relações com os países terceiros europeus e com outras organizações europeias como o Conselho da Europa e a OSCE (Organização para a Segurança e Cooperação na Europa)”, lê-se no comunicado.

A rede europeia de 32 Comissões de Justiça e Paz nacionais explica que hoje são “grandes as expectativas” de uma Europa “mais social, da Saúde Pública”, uma Europa a uma só voz no “apoio à democracia e aos direitos humanos” em todo o mundo e que tenha uma ação forte e unida no clima e biodiversidade.

Neste contexto, as Comissões Europeias Justiça e Paz assinalam que há uma necessidade urgente de “liderança política” em toda a Europa para conectar-se com as pessoas.

O comunicado, com a ação concertada 2021, assinala que uma oportunidade importante de diálogo é a Conferência sobre o Futuro da Europa, um projeto conjunto da Comissão Europeia, do Parlamento Europeu e do Conselho da União Europeia.

A Justiça e Paz Europa e as comissões nacionais asseguram que se vão envolver “ativamente” nos diálogos com os cidadãos, acompanhar de perto e apoiar o Plano de Ação da União Europeia para a Democracia e reforçar o seu envolvimento com a Agência Europeia dos Direitos Fundamentais, em Viena.

CB/OC

Partilhar:
Share