Iniciativa decorre de 5 a 12 de maio, em todo o país

Lisboa, 04 mai 2019 (Ecclesia) – O diretor da Pastoral Vocacional da Arquidiocese de Braga afirmou que a Semana de Oração pelas Vocações 2019, de 5 a 12 de maio, quer destacar uma dimensão comum à vida de todos os católicos.

“Hoje, fala-se muito na crise de jovens para o sacerdócio ou vida consagrada mas também será importante investirmos cada vez mais na vida matrimonial, na vida de consagração laical”, referiu o padre José Mário Martins, em declarações à Agência ECCLESIA.

O sacerdote, reitor do Seminário Menor da Arquidiocese de Braga, assinalou que existe “um mundo” que querem “continuar a habitar e fazer algo para que se torne cada vez mais habitável”.

A Igreja Católica em Portugal, através da Comissão Episcopal das Vocações e Ministérios, com os materiais preparados pelo Departamento Pastoral Vocacional de Braga, propõe uma semana com atividades para desafiar os jovens à descoberta da sua vocação.

Os jovens que acolhemos nos seminários, que estão a despertar para esta vocação e se sentem chamados, são do nosso tempo, contactam nos mais diversos ambientes com esta ‘paralisia da normalidade’ mas, ao mesmo tempo, também se colocam à escuta. Percebem que o Senhor os chama para algo maior e não têm medo de arriscar, perceber que é necessário sentir uma coragem diferente para perceberem o que o Senhor espera deles e quem sabe se essa vocação ao sacerdócio não é algo que vão concretizar”, desenvolveu o padre José Mário Martins.

A 56.ª Semana de Oração pelas Vocações tem como tema ‘A coragem de arriscar pela promessa de Deus’, entre 5 e 12 de maio.

Os subsídios oferecem um hino e respetivo videoclipe, incentivam à realização de uma Peregrinação Vocacional, entre outras iniciativas, e o guião começa com a mensagem do Papa Francisco.

O diretor da Pastoral Vocacional da Arquidiocese de Braga realça que os materiais pretendem “ajudar” a Igreja em Portugal a viver a próxima semana “de um modo diferente” ajudando cada cristão, cada batizado, cada pessoa “a perceber a incontornável dimensão vocacional da vida de todos”.

“Uma vocação que diz respeito a todos e acaba por determinar o caminho de cada pessoa, de cada cristão”, observa.

Neste contexto, o sacerdote assinala que se procurou produzir um conjunto de subsídios que pudessem “abarcar todas as realidades possíveis” e existem 16 propostas, “cada uma com a sua especificidade”, para “tocar cada coração, cada realidade”, da vida paroquial à escolar, o mundo da cultura, juvenil e dos adultos.

A Comissão Episcopal Vocações e Ministérios vai promover este domingo um encontro, que conta com a presença do diretor do Secretariado Nacional para as Vocações da Conferência Episcopal Italiana, o padre Michele Gianola, entre as 09h00 e as 17h00, na Casa de Nossa Senhora do Carmo, em Fátima.

Também este domingo, por exemplo, o Seminário dos Olivais, no Patriarcado de Lisboa, promove um «Dia Aberto», a partir das 10h30.

“Ainda hoje, no século XXI, há quem não tem a melhor imagem destas casas. Um seminário é uma casa onde habitam jovens que frequentam uma escola e, ao mesmo tempo, têm esta formação que ajuda a crescer de forma equilibrada a todos os seus níveis, todas as dimensões”, desenvolveu o padre José Mário Martins.

O reitor do Seminário Menor de Braga destaca que uma das propostas para a Semana de Oração pelas Vocações 2019 é que os jovens e os cristãos conheçam o que é um seminário ou uma casa religiosa.

HM/CB/OC

Partilhar:
Share