Lisboa, 14 mar 2014 (Ecclesia) – O antigo ministro da Educação Roberto Carneiro recordou hoje o falecido patriarca emérito D. José Policarpo como um “bispo incomum, absolutamente invulgar”, que deixou a sua marca no país.

Em texto publicado no Semanário ECCLESIA, o professor universitário destaca a “admirável intuição” do cardeal de “defrontar cada repto – da universidade aos meios de comunicação social, da cultura cristã ao diálogo aberto com os não crentes – de maneira inesperada e mobilizadora”.

O responsável sustenta também que D. José Policarpo “esticou”, até “às fronteiras do inverosímil, a pastoral urbana”.

“Soube como ninguém estabelecer a ponte entre as duas cidades agustinianas – a de Deus e a dos homens – com manifesto espírito de abertura e ‘desdogmatizado’, isto é, infatigavelmente atento aos ‘sinais dos tempos’”, acrescenta.

Roberto Carneiro deixa ainda uma revelação pessoal, recordando a promessa feita por D. José Policarpo, em tom de brincadeira, de “casar toda a tribo”.

“Pois, cá ficamos à sua espera nas cinco bodas que ainda nos faltam celebrar.

Até breve, querido senhor D. José”, conclui.

OC

Partilhar:
Share