«Fez-nos sentir bem, deu-nos alento, ficámos mais livres», afirmam os reclusos

Foto: Diocese de Lamego

Lamego, 13 jan 2020 (Ecclesia) – D. António Couto visitou o Estabelecimento Prisional de Lamego, onde foi recebido “com enorme alegria” pelos reclusos e presidiu à celebração da Eucaristia, acompanhado pelo capelão, padre Valdemar.

“Fez-nos bem ouvir da boca do Sr. D. António, que nós, reclusos, somos lembrados nas suas preces ao Senhor”, afirmaram alguns dos reclusos num texto publicado na mais recente edição do jornal Voz de Lamego.

“Na sua condição humana, também o Sr. Bispo foi similar ao afirmar que somos todos pecadores: ele também se incluiu nesta condição de pecador, atrevendo-se a dizer que não éramos mais pecadores que ele… mas todos irmãos em Cristo. Fez-nos sentir bem, deu-nos alento, ficámos mais livres, embora presos a umas grades, mas não ao nosso passado. Foi esta a sensação unânime de todos nós”, referem sobre a visita que decorreu no Dia da Sagrada Família, a 29 de dezembro de 2019.

De acordo com o testemunho publicado no jornal diocesano, os reclusos valorizaram o “grande empenho” que existe entre o Estabelecimento Prisional e a Diocese de Lamego para que sejam visitados “em nome de Jesus” por “sacerdotes e outras pessoas”.

Foto: Diocese de Lamego

No tempo do Natal, a prisão recebeu também a visita dos padres José Abrunhosa e Valdemar e do grupo ‘Almacave Jovem’ que, “mais uma vez, foi uma maravilha”, referem os reclusos, lembrando um encontro onde os presos ficaram a saber que “ainda existem pessoas” que pensam neles e “estão sempre prontos a animar um pouco mais” as suas vidas.

“Foi uma passagem de ano diferente com a marca do Menino Jesus que veio trazer-nos um tempo novo, sem calendário; Participámos na Eucaristia e foi-nos oferecido um terço a cada um de nós, já que celebrávamos, no primeiro dia do ano novo, a Festa de Nossa Senhora Mãe de Deus e nossa Mãe”, acrescentam.

No jornal ‘Voz de Lamego’, os reclusos do Estabelecimento Prisional de Lamego assinalam que “tudo” o que aconteceu neste tempo de Natal ajudou “a compreender” que mesmo numa fase má “Deus não deixa de descer e aumenta a esperança e fé em Jesus”, e que melhores dias virão com a liberdade”.

O artigo de vários reclusos publicado no jornal Voz de Lamego tem por título “Jesus também desceu até nós – Privados de liberdade, mas livres para Deus!”

CB/PR

 

Partilhar:
Share