Missa na Sé diocesana reuniu representantes de toda a diocese

Publicado por Diocese de Viana do Castelo em Sábado, 15 de agosto de 2020

Viana do Castelo, 15 ago 2020 (Ecclesia) – D. Anacleto Oliveira presidiu hoje a uma Eucaristia na Sé de Viana do Castelo que assinalou os 50 anos da sua ordenação sacerdotal e 10 de bispo na diocese do Minho.

Na homilia da Missa, que reuniu representantes de toda a diocese, o bispo de Viana do Castelo afirmou que os 50 anos de sacerdócio se devem à “graça do Senhor” e lembrou as orações da sua mãe durante “uma noite inteira”, em Fátima, quando surgiu o “primeiro sinal” da vocação para sacerdote.

“Agradecer, louvar o Senhor, pelas maravilhas que Ele tem feito. E se tem feito através de mim é puramente pela sua graça. Até a mãe que me deu foi uma graça, uma grande graça que eu não esqueço mais”, afirmou D. Anacleto Oliveira na homilia da Missa.

Natural da Diocese de Leiria-Fátima, D. Anacleto Oliveira recordou em entrevista à Agência ECCLESIA essa ligação de Fátima à sua escolha vocacional.

“Lembro-me do meu primeiro sinal de vocação, de interesse pela vida sacerdotal foi em Fátima, onde ia no verão com a minha mãe e numa noite em que a minha mãe rezava e eu dormia, quando acordei, já de manhã, vi uma figura de homem a dar a comunhão e pensei: e um dia se eu fizesse o mesmo? Tocou-me profundamente mas depois esqueci-me e só veio à memória a recordação muitos anos depois”, afirmou.

D. Anacleto Oliveira nasceu a 17 de julho de 1949, na freguesia de Cortes, em Leiria, e foi ordenado sacerdote a 15 de agosto de 1970; após a ordenação, estudou Sagrada Escritura em Roma e na Alemanha, onde foi capelão de uma comunidade portuguesa durante 10 anos.

Nomeado bispo para auxiliar de Lisboa em 2005, D. Anacleto Oliveira foi ordenado bispo no Santuário de Fátima no dia 24 de abril desse ano por D. Serafim Ferreira e Silva, então Bispo da Diocese de Leiria-Fátima.

Numa mensagem publicada no jornal Notícias de Viana, que fez uma edição especial por ocasião do jubileu sacerdotal de D. Anacleto Oliveira, o presidente da República sublinhou as capacidades humanas, pastorais e intelectuais de D. Anacleto Oliveira.

“Conhecimento, disponibilidade e serviço são exigências do múnus sacerdotal, e, por maioria de razão, episcopal. E os vianenses bem sabem da alegria de poder contar com um Bispo disponível no contacto pastoral e humano que é ao mesmo tempo um intelectual da Igreja”, escreve Marcelo Rebelo de Sousa.

Para além de bispo e Viana do Castelo, D. Anacleto Oliveira preside à Comissão da tradução da Bíblia para português da Conferência Episcopal Portuguesa à Comissão Episcopal Liturgia e Espiritualidade.

LSF/SN/PR

Especial: De operário fabril a bispo diocesano – D. Anacleto Oliveira percorre os 50 anos de sacerdote e dez anos de entrada na Diocese de Viana do Castelo (c/vídeo)

 

Partilhar:
Share