Presidente do Pontifício Conselho para a Promoção da Nova Evangelização

Paulo Rocha, enviado da Agência ECCLESIA a Barcelona

Barcelona, Espanha, 30 mar 2017 (Ecclesia) – O presidente do Pontifício Conselho para a Promoção da Nova Evangelização, do Vaticano, disse à Agência ECCESIA que há um “risco de uma rutura entre as gerações” e que os jovens não são “uma ilha”.

“Há um grande risco de uma rutura entre as gerações. Temos de evitar isso”, afirmou D. Rino Fisichella no simpósio promovido pelo Conselho das Conferências Episcopais da Europa, que está a decorrer em Barcelona até esta sexta-feira, sobre o acompanhamento dos jovens.

É necessário “fazer compreender aos jovens que estão inseridos no interior de uma dinâmica, que não devem ser uma ilha, mas pessoas que estão em relação com outras gerações”, referiu coordenador pela promoção da nova evangelização, na Santa Sé.

“O facto de aqui, em Barcelona, estarem bispos, sacerdotes, jovens, adultos, rapazes e raparigas de todas as idades, favorece a responsabilidade que estamos no interior de um processo para a transmissão do evangelho”, sublinhou D. Rino Fisichella.

Para o presidente do Pontifício Conselho para Promoção da Nova Evangelização, o principal contributo do Sínodo dos Bispos sobre a juventude, que vai decorrer no Vaticano em 2018, é o escutar os jovens.

“A Igreja tem falta de escutar e deve escutar as novas gerações porque são portadoras de uma nova cultura que, como no passado, temos de conhecer, confrontar-nos com ela e ser capazes de aí levar ao Evangelho”, indicou.

D. Rino Fisichella considera que “há uma lógica” na sequência de projetos promovidos pelo Vaticano sobre a evangelização na atualidade, que começou com o Sínodo sobre a Nova Evangelização, depois o da família, a que se segue o da Juventude.

Para o arcebispo italiano, a nova evangelização “tem na família o seu lugar privilegiado e inevitável” na família e diz respeito “aos que são o futuro da sociedade, os jovens”.

“O mais importante é dizer nós todos em conjunto estamos a caminhar para poder levar a todos os Evangelho de Jesus, que é um Evangelho de amor, que muda o coração, transforma-o e dar-lhe alegria e felicidade”, concluiu D. Rino Fisichella.

Com o tema ‘Acompanhar os jovens a responder livremente ao chamamento de Cristo’, o simpósio promovido pelo Conselho das Conferências Episcopais da Europa reúne 275 participantes de 37 países da Europa, incluindo Portugal, para analisar o acompanhamento dos jovens e o discernimento vocacional, que vai estar no centro da próxima assembleia do Sínodo dos Bispos, em 2018.

PR

Partilhar:
Share