Sacerdote multiplica ações de formação e oração em tempos de confinamento

São Miguel, Açores, 07 mai 2020 (Ecclesia) – O padre André Jesus de Resendes, da Diocese de Angra, tem desenvolvido uma dinâmica nas redes sociais que considera”uma atualização para uma nova evangelização”, porque o isolamento social e o confinamento da pandemia Covid-19 “assim o exigem”.

“Vamos utilizando os meios, as redes socias e digitais, para ir pescando e ir enviando a semente ao encontro de cada um, pedir também esse conforto, essa presença, reclamando sobretudo este sinal de proximidade e este sinal de unidade”, disse à Agência ECCLESIA o pároco dos Remédios, na ilha de São Miguel, Açores.

O sacerdote explica que, através da dinâmica desenvolvida nas redes sociais, que tem sido um ponto de encontro com os paroquianos e não só, “até parece que as palavras da Escritura ganham mais sentido” e “é uma atualização para uma nova evangelização” que a pandemia “assim o exige”.

“Sempre me dediquei muito a estas plataformas e à comunicação digital e às redes sociais. Talvez terá sido uma novidade em proporção, o modo como estamos a emitir”, desenvolveu.

O padre André Jesus de Resendes explica que de manhã rezam o Terço, entre as 11h00 ou 11h30 locais (mais uma hora em Portugal Continental e Arquipélago da Madeira), depois transmitem “ao vivo e direto” a Eucaristia; durante a tarde dinamizam “tertúlias, debates, reflexões”, com psicólogos e autoridades governamentais regionais, tentando “colmatar e aligeirando” algumas informações de utilidade “à luz daquilo que é o papel da Igreja”.

O pároco dos Remédios adianta uma programação “centrada para comentários sobre jornais”; às terças-feiras têm ‘Os três às três’, com sacerdotes residentes que meditam e refletem “temas dentro da esfera cristã”; a cada quinta-feira dinamiza uma conversa “bastante variada e ampla, de formação e debate”; à sexta-feira acontece o ‘Explicar melhor’; no dia seguinte, propõe-se ‘A mesa com Jesus’, com o padre Bruno Rodrigues, um encontro de meditação e “formação bíblico-cultural”.

Para o padre André Jesus de Resendes “este é um tempo favorável de graça e de bênção” e conta que costuma dizer aos seus fiéis que “os cristãos nunca devem encarar a vida como uma desgraça”, porque “inspirados pelo Espírito Santo” devem “encontrar sempre o melhor que os desafios trazem”.

“Vejo muitas bênçãos nesse desafio, de facto as pessoas estão a pôr mais ao de cima os seus sentimentos mais íntimos, as suas dificuldades, as suas ansiedades, e isso dá-nos tempo e dá-nos possibilidade uma vez que a rede é lançada num mar muito vasto de tocarmos situações, histórias e pessoas e podemos trabalhar e acompanhar”, desenvolveu.

O pároco dos Remédios afirma que o “desafio será encontrar o equilíbrio”, como em tudo, e as novas tecnologias e os meios online são “sempre uma ajuda, mas fica sempre muito aquém”, por isso, o sacerdote “nunca” vai dispensar “estar de forma presencial” com os seus paroquianos, com os amigos e os colegas.

O programa ECCLESIA, transmitido às 22h45 na Antena 1 da rádio pública, esta semana está a partilhar vários testemunhos da forma como os responsáveis das comunidades católicas têm-se adaptado às mudanças provocadas pela pandemia de Covid-19.

LS/CB

Os 3 ás 3Lay-Off e ParóquiasJúlio RochaNuno Pacheco André Resendes

Publicado por Grão de Mostarda em Terça-feira, 5 de maio de 2020

 

Partilhar:
Share