Criticou a presidente da Associação Portuguesa das Famílias Numerosas

Lisboa, 21 set 2015 (Ecclesia) – A presidente da Associação Portuguesa das Famílias Numerosas (APFN) considerou, durante o evento «Family Land», que em Portugal, as famílias são “penalizadas” quando têm mais filhos. 

Para Rita Mendes Correia, a APFN pretende ajudar as famílias a serem “mais famílias” e “não serem penalizadas no IRS e no IMI”.

Durante dois dias (19 e 20 deste mês), em Cascais, muitas famílias estiveram reunidas no «Family Land» onde passaram “bons momentos junto dos seus filhos e de outros amigos”, realçou a presidente da APFN.

Com imensas atividades tanto para os pais como para os filhos, os participantes tiveram oportunidade de sair dos círculos mais fechados e viverem “momentos ao ar livre”, disse.

“É importante que a APFN tenha muitos associados” porque “todos juntos temos uma força maior”, realçou Rita Mendes Correia.

Com a proximidade das eleições legislativas, a presidente da APFN sublinha que “algumas promessas foram cumpridas, pequenas coisas” mas que ajudam as famílias.

Atualmente, para que “possam nascer mais crianças” é fundamental que se criem “mais condições” e só assim a taxa de natalidade pode aumentar em Portugal, proferiu Rita Mendes Correia.
“O país necessita que nasçam crianças”, finalizou a presidente da APFN.

A «Family Land» foi um evento para toda a família, promovido pela Associação Portuguesa de Famílias Numerosas com o apoio da Câmara Municipal de Cascais e foi concebida para receber toda a família.
Ao longo dos dois dias realizaram-se concertos, workshops, insufláveis, showcookings, lasertag, paintball, airsoft, ateliers de cozinha, concursos para pais e filhos e muitas outras atividades.

LFS

 

Partilhar:
Share