Reitora da UCP é a primeira mulher a assumir o cargo, assumindo objetivo de «modernizar» a associação

Lisboa, 27 jul 2018 (Ecclesia) – A reitora da Universidade Católica Portuguesa (UCP), Isabel Capeloa Gil, foi eleita presidente da Federação Internacional das Universidades Católicas (FIUC) para os próximos três anos, anunciou hoje a instituição em comunicado enviado à Agência ECCLESIA.

A responsável vai ser a primeira mulher a assumir o cargo, após a eleição que decorreu na 26.ª Assembleia Geral da FIUC, em Maynooth, Irlanda, que se concluiu esta sexta-feira.

No seu discurso após a eleição, Isabel Capelo Gil falou numa “grande honra” e assumiu como objetivos “modernizar” a associação e trabalhar com “transparência”.

“Esta eleição, que pela primeira vez teve mais do que um candidato, representa a transformação da FIUC”, sustentou a responsável portuguesa.

A reitora da UCP recebeu 102 votos, contra os 65 do reitor da Universidade Católica da Costa Rica.

A nova presidente da FIUC desafiou os participantes a questionar sempre “o que significa ser uma universidade católica”, marcada pelo respeito da dignidade humana, promovendo a articulação “entre o local e o global” e criando “valor para a sociedade”.

“As universidades enfrentam enormes desafios, hoje em dia, são o ponto fulcral do novo modelo económico, que já não se baseia exclusivamente na manufactura e bens, mas é guiada e dominada pelos que possuem capital intelectual”.

Isabel Capeloa Gil, professora catedrática da Faculdade de Ciências Humanas, tomou posse como reitora da Universidade Católica Portuguesa (UCP) em outubro de 2016.

A FIUC é a mais antiga associação de universidades do mundo, fundada em 1924 e reconhecida pela Santa Sé em 1949, reunindo cerca de 200 instituições académicas.

“Esta é, também, a primeira vez que Portugal se encontra integrado num órgão de gestão da Federação”, assinala uma nota da UCP.

Isabel Maria de Oliveira Capeloa Gil nasceu a 22 de julho de 1965 em Mira, Coimbra; tem doutoramento em Língua e Cultura Alemãs na Faculdade de Ciências Humanas da UCP, da qual foi diretora desde 2005 e 2012.

A UCP, criada em 1967, é reconhecida pelo Estado como instituição universitária livre, autónoma e de utilidade pública.

A Concordata entre a Santa Sé e a República Portuguesa assinada em 2004 afirma no seu artigo 21.º a “especificidade institucional” da Universidade Católica.

OC

Notícia atualizada às 12h45

Partilhar:
Share