Santiago de Compostela acolhe 12 mil participantes, em evento presidido por D. António Marto, como enviado especial do Papa

Foto: Agência ECCLESIA

Santiago de Compostela, Espanha, 06 ago 2022 (Ecclesia) – Os 12 mil participantes na Peregrinação Europeia de Jovens (PEJ) 2022, que decorre na cidade espanhola de Santiago de Compostela, vivem hoje um dia de festa, na reta final do evento.

O programa deste sábado começa com as tradicionais catequeses e momentos de animação, antes da oração da manhã e dos trabalhos de grupo.

Pelas 12h30 (menos uma em Lisboa), os jovens peregrinos, autoridades religiosas e civis receberam o cardeal português D. António Marto como enviado especial do Papa para presidir às celebrações conclusivas.

O bispo emérito de Leiria-Fátima disse sentir-se unido aos homens e mulheres que, ao longo dos séculos, peregrinaram até Santiago, confessando-se “emocionado”.

“Sinto-me unido e solidário com a Igreja e toda a humanidade, neste momento crítico da história”, acrescentou.

O cardeal português destacou o significado particular deste peregrinação, num momento em que a Igreja vive o processo sinodal, convocado pelo Papa, e em que o mundo enfrenta o “drama do pós-pandemia e da guerra, às portas da Europa, com imprevisíveis consequências globais”.

“Os jovens, que são o presente e o futuro da Igreja e do mundo, querem a paz, desejam a paz e farão todos os possíveis para trabalhar por ela”, acrescentou.

D. António Marto pediu que os jovens peregrinos deem testemunho de um mundo fraterno, “sem ódio, sem guerras nem discriminações raciais”.

O responsável apontou à JMJ 2023, considerando que a peregrinação de Santiago é “uma etapa no caminho em direção a Lisboa”, convidando todos a participar no evento do próximo ano.

D. Julián Barrio, arcebispo de Santiago, falou da peregrinação como símbolo do desejo de uma “Europa sem fronteiras”, em busca da paz.

A cerimónia de acolhimento decorreu na igreja de São Domingos de Bonaval, onde foi lida a carta de nomeação de D. António Marto como enviado do Papa.

Os participantes fizeram uma peregrinação simbólica no último troço do Caminho Francês, rumo ao túmulo do Apóstolo Tiago, acompanhados por um pequeno grupo de pessoas que levaram a Cruz da JMJ e pelo grupo folclórico ‘Colexiata do Sar’.

A procissão entrou pela porta de Azabacherías —situada na Praça da Imaculada —, o lugar por onde os primeiros peregrinos, no século XII, entravam no templo.

D. António Marto, acompanhado por responsáveis católicos e autoridades civis, desceu ao túmulo do Apóstolo.

À tarde, decorrem as oficinas “A Viagem do Apóstolo” e “Cuidando da nossa terra”.

Já à noite, os jovens europeus reúnem-se para o espetáculo musical no Monte do Gozo e uma Vigília de Oração.

Entre os 12 mil participantes há centenas de portugueses, “embaixadores” da JMJ Lisboa 2023, como referiu à Agência ECCLESIA o padre Filipe Diniz, diretor do Departamento Nacional da Pastoral Juvenil (DNPJ).

A Cruz da JMJ e o Ícone mariano que a acompanha estão, por estes dias, em Santiago de Compostela, numa etapa especial da atual peregrinação pelas dioceses portuguesas, rumo ao encontro internacional de Lisboa (1 a 6 de agosto de 2023).

A Peregrinação Europeia de Jovens, que decorre desde quarta-feira, inclui momentos de oração, concertos, encontros temáticos e propostas culturais, em toda a cidade de Santiago.

A Missa final da PEJ 2022 celebra-se este domingo, sob a presidência de D. António Marto.

Segundo a organização, marcam ainda presença 55 bispos de Espanha, Itália e Portugal, 370 sacerdotes e 400 consagrados.

A delegação portuguesa, com cerca de 250 participantes, chegou de oito dioceses e três movimentos juvenis.

A Peregrinação Europeia de Jovens decorre no contexto do Xacobeo, o Ano Santo, que foi prorrogado até final de 2022, pelo Papa Francisco, por causa da pandemia de Covid-19.

OC

Notícia atualizada às 12h16

Partilhar:
Share