Organismo da Universidade Pontifícia Gregoriana alarga atenção para «pessoas abusadas numa idade adulta»

Foto: Agência ECCLESIA/HM

Lisboa, 04 jun 2021 (Ecclesia) – O presidente do Centro para a Proteção de Menores, da Universidade Pontifícia Gregoriana, disse à Agência ECCLESIA que o organismo se vai transformar num Instituto de Antropologia, para estudos interdisciplinares sobre dignidade humana e cuidado a pessoas vulneráveis.

O padre Hans Zollner, membro da Comissão Pontifícia para a Tutela dos Menores, criada pelo Papa Francisco, destaca que nos últimos anos houve uma mudança, na opinião pública e na Igreja, que passou a dar mais atenção às pessoas adultas vulneráveis.

Nesse sentido, o novo Instituto quer alargar os horizontes, para incluir “as pessoas abusadas numa idade adulta”, por exemplo, na direção espiritual de seminaristas ou religiosas.

“Falamos num ‘upgrade’ académico. Um centro, na nossa estrutura, da Gregoriana, não tem um corpo docente, não pode conferir graus académicos”, precisa o religioso jesuíta.

“Queremos continuar, com seriedade o nosso trabalho académico de formação e pesquisa”, acrescenta.

O trabalho começado há cinco anos permitiu a formação de vários especialistas em proteção de menores”, em colaboração com várias conferência episcopais e institutos religiosos.

OC

Abusos Sexuais: Universidade Gregoriana formou 16 especialistas em proteção de menores

Partilhar:
Share