Vaticano confiou mandato especial para «difundir o Evangelho da Criação e de cuidar da casa comum»

 Lisboa, 24 mai 2021 (Ecclesia) – José Varela, animador ‘Laudato Si’, disse à Agência ECCLESIA que estes agentes procuram “viver” a encíclica ecológica e social do Papa Francisco e “motivar outras pessoas e as comunidades” para a sua implementação.

“Os eixos principais que são propostos têm a ver com a espiritualidade, o estilo de vida e a advocacy pelo cuidado da ‘Casa Comum’”, disse o responsável da Rede ‘Cuidar da Casa Comum’.

O animador português indica que as ações podem passar por promover um grupo de oração, organizar um colóquio online ou “alterar padrões de consumo numa instituição”.

Segundo José Varela, existe uma “grande flexibilidade” naquilo que os animadores fazem e não são, necessariamente, “iniciativas com visibilidade”, cada um tem o seu próprio caminho.

“Os animadores ‘Laudato Si’ são voluntários, pessoas de uma grande diversidade de países, profissões, idades, há leigos e religiosos, que procuram viver a Laudato Si e motivar outras pessoas e as comunidades onde se inserem a fazer o mesmo”, desenvolve.

Neste contexto, adianta que já existem “milhares de animadores” que constituem um movimento de base, que é “muito importante” para a disseminação do conhecimento da ‘Laudato Si’ nos mais diversos contextos, apoiados pelo Movimento Católico Global pelo Clima (GCCM, sigla em inglês).

José Varela contou que fez o curso de “Animador Laudato Si” do GCCM, inicialmente, para ter “um pouco mais” de conhecimento sobre a encíclica do Papa Francisco, assinada em 2015, e salientou que a formação “muito interessante”, organizado em torno do método ‘Ver, Julgar e Agir’, “dá ferramentas para a ação”.

“Fiquei bastante surpreendido pela positiva pela grande dinâmica deste movimento e pelo incentivo que é dado aos animadores para atuarem nas suas comunidades, que podem ser a própria família, uma paróquia ou uma atuação a nível internacional”, acrescentou o membro da comissão-executiva da rede ecuménica ‘Cuidar da Casa Comum’.

Na manhã deste domingo, o Papa Francisco deu os parabéns aos animadores ‘Laudato Si’, que iam recebem um mandato especial para “difundir o Evangelho da Criação e de cuidar da casa comum”.

Francisco também assinalou o encerramento do ano ‘Laudato Si’ e apontou ao lançamento de uma nova plataforma da Santa Sé, com propostas de “estilo de vida sustentável”, no final da recitação da oração do Regina Caeli, desde a janela do apartamento pontifício.

O mandato aos animados ‘Laudato Si’ foi conferido numa celebração litúrgica, que se realizou em Roma e em Assis, com transmissão online, presidida pelo cardeal Luis Antonio Tagle, prefeito da Congregação para a Evangelização dos Povos (Santa Sé), com a participação de Christina Leaño, diretora do Movimento Católico Global para o Clima e representantes de animadores de vários países.

Há um ano, a 24 de maio de 2020, o Papa assinalou o quinto aniversário da sua encíclica ecológica e social ‘Laudato Si’ lançando um ano especial e, neste âmbito, o Vaticano divulgou um “manual” de aplicação do documento com mais de 200 recomendações em defesa do ambiente e da vida humana.

CB/OC

Igreja/Ambiente: Pandemia veio sublinhar atualidade da «Laudato Si» e urgência de mudança – José Varela

Partilhar:
Share