Numa ação de limpeza de zonas costeiras e fluviais no Dia Nacional do Mar

Foto Secretaria Nacional Ambiente e Sustentabilidade do CNE

Lisboa, 28 nov 2019 (Ecclesia) – A Secretaria Nacional para o Ambiente e Sustentabilidade, do Corpo Nacional de Escutas (CNE), envolveu os escuteiros numa ação global de limpeza de zonas costeiras e fluviais onde recolheram 8.600 kg de lixo, no Dia Nacional do Mar.

Na informação enviada à Agência ECCLESIA, o movimento católico assinala que nos diferentes tipos de lixo recolhido “um dos mais frequentes” é o cotonete de plástico mas encontraram também matriculas, motas, carrinhos de supermercado, pneus e frigoríficos, por exemplo.

“As pessoas tendem a colocar os cotonetes na sanita, e como são mais finos do que as redes das estações de tratamento de águas, estes vão diretamente para o mar e rios, aumentando a poluição causada pelo ser humano, prejudicando todo o ambiente”, explica o secretário Nacional do Ambiente e Sustentabilidade, José Rodrigues.

O evento de limpeza de zonas costeiras e fluviais mobilizou cerca de 1.800 escuteiros e pais, de 44 agrupamentos de 13 regiões, que recolheram cerca de 8.600 kg de lixo, a 16 de novembro

No ‘Mês do Mar’ são dinamizadas “centenas de ações” e todos os agrupamentos dos escuteiros em Portugal continental e arquipélagos são chamados à “defesa das praias e das zonas costeiras e fluviais”: “É hora de agir; vamos torná-las mais limpas!”

Esta iniciativa assinalou os 41 anos da primeira ação de limpeza de praias dinamizada pelo Corpo Nacional de Escutas, contextualiza a Secretaria Nacional Ambiente e Sustentabilidade do movimento católico.

Com 75 mil elementos, o CNE é a maior organização de juventude do país e, desde 1983, reconhecido com Instituição de Utilidade Pública.

O Corpo Nacional de Escutas – Escutismo Católico Português foi fundado a 27 de maio de 1923, pelo arcebispo de Braga D. Manuel Vieira de Matos e monsenhor  Avelino Gonçalves.

CB

 

Partilhar:
Share