Centro da Universidade Católica promove colaboração para «memória crítica da sociedade»

Lisboa, 14 abr 2021 (Ecclesia) – O Centro de Estudos de História Religiosa (CEHR) da Universidade Católica Portuguesa vai lançar esta quinta-feira a Rede de Arquivos de Instituições Religiosas (RAIR), promovendo a colaboração neste campo.

“Não é possível conhecermos a história das sociedades, no caso concreto da sociedade portuguesa, sem o acesso aos arquivos”, disse à Agência ECCLESIA Paulo Fontes, diretor do CHER.

O docente e investigador universitário fala do projeto como uma proposta “a médio e longo prazo”, que visa “envolver numa lógica de parceria” os arquivos ligados a instituições religiosas que pretendam “dar visibilidade ao seu trabalho” e contribuir para uma atividade mais qualificada.

A RAIR quer reforçar a ligação entre instituições religiosas, sociedade civil e mundo académico, “em prol da memória histórica” e de uma “memória crítica da sociedade”.

A iniciativa resulta de uma parceria do CEHR da Universidade Católica Portuguesa com um conjunto de entidades nacionais, como a Conferência Episcopal Portuguesa, o Conselho Português de Igrejas Cristãs, a União das Misericórdias Portuguesas e a Cáritas Portuguesa.

Paulo Fontes sublinha que o património documental é “muitas vezes o parente pobre”, na ação das próprias instituições, que muitas vezes têm em mãos “um acervo significativo”.

“Esta necessidade existe” e exige uma “lógica de cooperação”, para assegurar “meios humanos, técnicos, financeiros”, acrescentou o entrevistado de hoje na emissão do Programa ECCCLESIA (RTP 2).

O lançamento da RAIR vai ter lugar numa “iniciativa pública, em ambiente virtual”, entre quinta e sexta-feira, com início pelas 14h30.

O primeiro dia conta com a presença do diretor-geral da DGLAB/Torre do Tombo e o programa integra um conjunto de conferências sobre problemáticas da arquivística na Europa e em Portugal;  no segundo dia decorre uma mesa-redonda sobre práticas de organização e difusão de arquivos de instituições de cariz religioso.

A sessão de encerramento vai contar com representantes das entidades promotoras e com a reitora da Universidade Católica Portuguesa, pelas 17h30.

HM/SN/OC

Partilhar:
Share