Protestos contra a gestão do governo de Jovenel Moïse já provocaram vários mortos 

Foto: Lusa

Cidade do Vaticano, 15 fev 2019 (Ecclesia) – A Conferência Episcopal do Haiti diz que o “país está à beira do abismo”, e lança um apelo à “consciência dos vários partidos políticos”, para que se encontre uma solução para os problemas das

populações.

Numa carta divulgada hoje pelo portal Vatican News, os bispos católicos do Haiti realçam a urgência de “encontrar uma solução sábia que considere os interesses da nação e a defesa do bem comum”.

“Neste sentido, fazemos um apelo à consciência dos cidadãos de várias partes políticas por uma decisão patriótica, mesmo que seja à custa de grandes sacrifícios”, escrevem os responsáveis católicos.

Numa altura em que se multiplicam as manifestações nas ruas, em protesto contra o governo do presidente Jovenel Moïse, que já custaram a vida a várias pessoas, a Conferência Episcopal do Haiti deixa uma mensagem ao coração dos responsáveis políticos, para que implementem medidas que vão ao encontro do “bem-comum” das comunidades.

“O momento é sério, pois há violência contra a vida”, referem os bispos haitianos, que “lamentam as perdas de vidas humanas e propriedades, verificadas recentemente nas manifestações” e “manifestar a sua solidariedade às vítimas e aos seus parentes”.

Os tumultos no país têm crescido à medida que aumentam também as dificuldades económicas e sociais no Haiti, com uma inflação que se mantém há dois anos acima dos 15 por cento.

“O primeiro pedido dos manifestantes é o de ter algo para comer”, refere o mesmo texto, que lembra também as situações de “gestão danosa”, que têm marcado o Governo haitiano.

A agitação popular subiu de tom na sequência da publicação, no início deste ano, de um relatório do Tribunal de Contas que indicia também “possíveis desvios de fundos emprestados pela Venezuela ao Haiti, desde 2008, para financiar seu desenvolvimento”.

Recorde-se que está em causa uma nação que tem sido abalada ao longo dos anos por um conjunto de catástrofes naturais, a mais grave das quais o sismo de 2010, que devastou o Haiti e provocou centenas de milhares de mortos.

JCP

Partilhar:
Share