Lisboa, 05 jul 2019 (Ecclesia) – A FEC – Fundação Fé e Cooperação, em parceria com o Ministério da Educação da Guiné-Bissau, lançou o primeiro levantamento nacional do ensino pré-escolar do país.

O estudo revela que “apenas 22% das crianças guineenses têm a oportunidade de frequentar o jardim de infância” e que “apenas 32,7% dos educadores têm formação superior e especializada”.

“O direito ao acesso a serviços educativos das crianças é um dos mais ameaçados no país”, realça uma nota da FEC, enviada hoje à Agência ECCLESIA.

Entre os dados referidos pelo estado, sublinha-se que as crianças têm de percorrer 2,59 km a pé para chegar à escola e que só 17% dos estabelecimentos de ensino pré-escolar são públicos

O relatório ‘Caracterização do Pré-escolar na Guiné-Bissau – Levantamento Nacional’ inquiriu 744 jardins de infância de todas as regiões da Guiné-Bissau e foi desenvolvido no âmbito do PARSE – Programa de Apoio à Reforma do Sistema Educativo na Guiné-Bissau, promovido pela FEC em parceria com o Ministério da Educação, Ensino Superior, Juventude, Cultura e Desportos da Guiné-Bissau, e financiado pelo Camões – Instituto da Cooperação e da Língua, I.P.

OC

Partilhar:
Share