Iniciativa reúne cerca de 400 participantes

Guarda, 30 jul 2019 (Ecclesia) – A Junta Regional da Guarda do Corpo Nacional de Escutas mobilizou cerca de 400 escuteiros para um acampamento que começa hoje e termina a 3 de agosto, na Praia Fluvial da Ratoeira, em Celorico da Beira.

“Estão previstas diversas atividades, para as diferentes secções sempre ligadas com o tema do acampamento. Este acampamento está virado para a problemática da ecologia e do ar”, disse o assistente regional adjunto, o padre Hugo Martins, ao jornal ‘A GUARDA’.

Na informação enviada à Agência ECCLESIA, a Diocese da Guarda contextualiza que o 21.º Acampamento Regional (ACAREG) tem como lema ‘TransformAr’ e dos objetivos destaca-se o “despertar a consciência ecológica”.

Outros objetivos do acampamento que vai congregar cerca de 400 escuteiros estão “potencializar o encontro” entre os diversos agrupamentos da região da Guarda, “partilhar o mesmo ideal” e “festejar e celebrar” a pertença ao movimento escutista.

Segundo a organização, o programa da atividade prevê “em cada dia destaque a cada um dos patronos das secções”; os participantes vão ter jogos, para que todos conquistem a insígnia ‘Maria Mãe dos Escutas’ que “poderão colocar no seu lenço de escuteiro”.

O assistente regional adjunto assinala que o acampamento vai ter uma capela central, a tenda do encontro, com o Santíssimo Sacramento que pretende ser “o pulmão espiritual da atividade”, onde haverá “espaço de silêncio, oração da manhã, oração do ângelus, espaço de escuta/reconciliação, música, e testemunhos cristãos”.

A Diocese da Guarda realça que a praia fluvial da Ratoeira vai transformar-se “num grande acampamento” com escuteiros de toda a região que abrange “a maior parte” dos concelhos do Distrito da Guarda – Guarda, Sabugal, Almeida, Figueira de Castelo Rodrigo, Pinhel, Trancoso, Celorico da Beira, Gouveia, Seia, Manteigas -, algumas freguesias de Vila Nova de Foz Côa e Fornos de Algodres, do distrito de Castelo Branco – Belmonte, Covilhã, Fundão e Penamacor – algumas freguesias de Castelo Branco e uma freguesia de Oliveira do Hospital, no distrito de Coimbra.

O padre Hugo Martins explica que a escolha deste local para o 21.º ACAREG primeiro foi por uma questão de segurança e também por ser “um lugar de excelência, com sombras e água”.

Atualmente, a Região da Guarda tem mais de 1000 escuteiros divididos por 21 agrupamentos, e segundo o sacerdote a Covilhã “é o concelho onde há mais agrupamentos” enquanto no concelho da Guarda “existem apenas dois”.

CB/OC

Partilhar:
Share