«(Bíblia) é um bem da cultura que inspira as mais nobres tradições» – D. Manuel Felício

Foto Diocese da Guarda

Guarda, 13 fev 2020 (Ecclesia) – O bispo da Guarda afirmou que a Bíblia “é um bem da cultura que inspira as mais nobres tradições”, nas Jornadas do Clero que a diocese promoveu esta terça e quarta-feira, 11 e 12 de fevereiro, no seminário.

“As civilizações muito lhe devem, como também nela deixaram as suas marcas e muitas nações nasceram e desenvolveram-se por sua motivação e à sua sombra, como aconteceu com a nação portuguesa”, disse o bispo da Guarda sobre a Bíblia, na sessão de abertura do encontro de formação.

Num comunicado enviado à Agência ECCLESIA, a Diocese da Guarda informa que o seu bispo assinalou que a tradução da Bíblia para as línguas vernáculas, e o seu diversificado manuseamento, fazem-no o livro “mais trabalhado ao longo da história da humanidade”.

Neste contexto, observou que a tradução da Sagrada Escritura para a língua portuguesa “começou muito cedo” e está a merecer a “devida atenção por parte dos investigadores”.

‘A Bíblia na tradição e na cultura portuguesa – Suas marcas na instituição familiar’ foi o tema geral das Jornadas do Clero e D. Manuel Felício explicou que os “ritmos de vida” do povo português “são largamente marcados pela presença e influência da Bíblia”.

“Um olhar sobre a Bíblia a partir de fora, não tanto a partir da Teologia e da Exegese, mas sim a partir do mundo da cultura que nos envolve enquanto tal e particularmente a partir do mundo da universidade”, desafiou, assinala o comunicado.

A Diocese da Guarda convidou para falar do tema ‘A Bíblia nas tradições e na cultura portuguesa’ frei Herculano Alves – ‘Como ler um texto bíblico, no contexto do Congresso Internacional sobre a Bíblia na Cultura Ocidental’, o professor José Eduardo Franco – ‘Raízes bíblicas de Portugal e das nações da Europa’, e a investigadora Eugénia Magalhães que apresentou ‘A Bíblia nos discursos místico e espiritual dos autores portugueses’.

A organização promoveu também uma conferência aberta ao público, no auditório do Paço da Cultura, com Gabriel Magalhães que falou sobre ‘A Bíblia fonte de inspiração para uma vida de família com sentido’.

As Jornadas do Clero da Diocese da Guarda terminaram, esta quarta-feira, com a mesa-redonda ‘A presença da Bíblia nas tradições de Quaresma/Páscoa’, que contou com a participação de Daniela Capelo, vice-presidente da Câmara Municipal de Pinhel, Vítor Amaral, vereador da Câmara da Guarda), o professor Sérgio Rocha e Pedro Salvado, diretor do Museu do Fundão.

D. Manuel Felício explicou que a escolha do tema – ‘A Bíblia na tradição e na cultura portuguesa – Suas marcas na instituição familiar’ – “também foi motivada” pelo Congresso Internacional sobre a Bíblia na Cultura Ocidental que está previsto realizar-se em “setembro próximo, em Gouveia”.

CB

Partilhar:
Share