Comissão sinodal diocesana é constituída por três leigos, um diácono, uma religiosa e dois sacerdotes

Foto Diocese da Guarda

Guarda, 18 out 2021 (Ecclesia) – A Diocese da Guarda apresentou a sua comissão sinodal diocesana para ajudar “quer a Igreja internamente, quer a própria sociedade” a assumirem “as suas responsabilidades”, rejeitando o objetivo de uma “Igreja muito arrumadinha”.

“Nós não queremos trabalhar para ter uma Igreja muito arrumadinha, nós queremos trabalhar para que os cristãos e a Igreja prestem um serviço a esta sociedade em que nos encontramos”, explicou D. Manuel Felício, informa uma nota enviada à Agência ECCLESIA.

O bispo da Guarda afirmou que há aspetos da vida, “essenciais para as pessoas, que estão esquecidos”, enquanto outros são agredidos e ainda existem “outros que não são valorizados”.

A Comissão Sinodal Diocesana da Guarda foi apresentada este domingo, na Missa na Sé Catedral, e na Jornada de Pastoral, que a diocese realizou no dia anterior, dia 16.

“Ajude quer a Igreja internamente, quer a própria sociedade, em que nós estamos inseridos, a assumirem as suas responsabilidades”, explicou.

Segundo D. Manuel Felício, a grande missão desta equipa é “motivar” os fiéis em geral, as instituições da diocese, os arciprestados, as paróquias, mas também os movimentos, os serviços, as obras de apostolado, para darem resposta ao apelo do Papa, “sem prejuízo de transversalmente” estarem “atentos ao sentir da própria sociedade” e poderem “ajudar a valorizar aspetos para a vida de qualidade”.

A Comissão Sinodal Diocesana da Guarda, coordenada pelo padre Jorge Castela, é constituída pelo padre Francisco Barbeira, o diácono Paulo Caetano, a irmã Maria da Graça Afonso, Tânia Marques, Ana Rita Loureiro e Joaquim Monteiro Brigas.

Foto Diocese da Guarda; Comissão Sinodal

Para o padre Jorge Castela é fundamental “conversar” sobre um assunto “importante” e que nos próximos meses “vai marcar a Diocese da Guarda”, e destacou a presença de pessoas de vários pontos desta Igreja na jornada realizada no seminário.

A 16ª assembleia geral do Sínodo dos Bispos vai decorrer em outubro de 2023, um ano depois do que estava inicialmente agendado, por causa da pandemia, sendo precedida por um processo inédito de consulta, com assembleias diocesanas e continentais.

A assembleia convocada pelo Papa tem como tema “Por uma Igreja sinodal: comunhão, participação e missão”.

CB/PR

Partilhar:
Share