A Congregação das Irmãs Franciscanas de Nossa Senhora das Vitórias prestou mais uma homenagem à sua fundadora, a Irmã Mary Wilson, e também a Irmã Elisabeth, que com ela trabalhou na fundação daquela Congregação, com a inauguração de um mausoléu na Quinta das Rosas, Funchal, onde se encontra o Secretariado da Irmã Wilson. O mausoléu, que homenageia as religiosas, foi ontem inaugurado, coincidindo com o conselho alargado de todas as Províncias da Congregação das Irmãs Vitorianas, que decorrerá na Quinta das Rosas até ao próximo dia 2, com a participação de Irmãs de várias localidades. A cerimónia foi antecedida da celebração da Eucaristia, na capela da Quinta das Rosas, presidida por D. Teodoro de Faria e participada por muitas religiosas daquela Congregação, entre elas a Irmã Ilda Ribeiro Tomás Ribeiro, Superiora-Geral daquela Congregação. A data escolhida coincide com o início do conselho alargado de todas as Províncias da Congregação das Irmãs Vitorianas, que decorrerá na Quinta das Rosas até ao próximo dia 2, com a participação de Irmãs de várias localidades. Esta religiosa, por ocasião da inauguração daquele monumento, referiu-se ao trabalho apostólico das duas Irmãs que ali são perpetuadas, salientando a importância da sua missão, que se mantém actual nos dias de hoje. Apelo ao aumento das vocações A anteceder esta cerimónia foi celebrada a Eucaristia na capela daquela Quinta, tendo na homilia o prelado funchalense manifestado a sua satisfação por estar naquele local, recordando a sua actividade como assistente espiritual daquela Congregação, há 40 anos, tempo em que, como sublinhou, era mais elevado o número de religiosas. Apesar das dificuldades que actualmente atravessam as comunidades, no que se refere a vocações femininas, D. Teodoro incentivou as Irmãs a continuarem a pedir a Deus para que lhes enviem novas vocações, de modo a que possam continuar o benéfico trabalho que realizam. Fazendo uma reflexão sobre as leituras da Eucaristia daquele dia, o prelado funchalense salientou a importância da oração, em especial por ocasião das dificuldades como sucedeu com Santo Estêvão, o primeiro mártir da Igreja, cuja festa ontem se celebrou. No ofertório foi colocada a renúncia do Advento das religiosas daquela Congregação, que reverte para as obras de recuperação da casa que as Irmãs Vitorianas têm no Santo da Serra e onde a Irmã Mary Wilson trabalhou. A este propósito, no final da Eucaristia, D. Teodoro de Faria fez um apelo às religiosas daquela Congregação para que mantenham em boas condições as diversas Casas que possuem na Diocese do Funchal. E porque algumas delas, como as de Câmara de Lobos e a de Santa Cruz, necessitam de obras de recuperação, apelou também a que as Irmãs façam todos os esforços para as manter, porque são importante património histórico e cultural da Diocese madeirense.

Partilhar:
Share