Queda de uma árvore no dia 15 de agosto fez 13 vítimas

Foto Agência ECCLESIA/PR, Bispo do Funchal, na Igreja do Monte

Funchal, 18 fev 2019 (Ecclesia) – O bispo do Funchal presidiu hoje a uma Missa na Igreja de Nossa Senhora do Monte de consagração do seu ministério e de “solidariedade” para com as vítimas do “incidente grave” de agosto de 2017.

No dia 15 de agosto de 2017 caiu uma árvore na freguesia do Monte, no Funchal, nas festas da Padroeira da cidade e da Diocese do Funchal, e provocou a morte a 13 pessoas e causou 50 feridos.

“Celebrei a Missa pelas vítimas daqueles que aqui faleceram, num gesto de muita solidariedade”, disse D. Nuno Brás aos jornalistas.

O novo bispo do Funchal quis consagrar o seu ministério a Nossa Senhora do Monte e ao Beato Carlos de Áustria, sepultado na Igreja do Monte.

“Ser bispo é um ministério que ultrapassa as nossas capacidades em demasia. Se não tivermos a ajuda de Nosso Senhor, não conseguimos”, referiu D. Nuno Brás.

O bispo do Funchal recordou que não é “político nem gestor” e a liderança de uma Diocese não é como numa empresa, antes “é uma obra de Deus e só com Ele é que se consegue”.

D. Nuno Brás disse também que era “difícil” ter um acolhimento melhor do que aquele que teve, este domingo, quando tomou posse como bispo do Funchal.

“Sinto-me como uma pessoa da casa”, acrescentou.

D. Nuno Brás tomou posse como 33º bispo da Diocese do Funchal este domingo, na Sé, numa celebração que com o cortejo litúrgico na igreja do Carmo.

PR

Partilhar:
Share