Programa pastoral «Ser Cristão, Viver em Missão» foi apresentado hoje

Funchal, 29 set 2018 (Ecclesia) – O bispo do Funchal apresentou hoje o programa pastoral para o próximo ano apostado na valorização da missão.

“O ano missionário, convocado pela Igreja em Portugal, coincide na diocese do Funchal com os 600 anos dos descobrimentos da ilha da Madeira e do Porto Santo, comemoração que celebra um passo importante do contributo da diocese na missão de anunciar o Evangelho”, assinala D. António Carrilho, bispo da diocese, no texto «Ser Cristão, Viver em Missão», enviado à Agência ECCLESIA.

“Ninguém pode ficar de fora nesta caminhada comum de redescobrir e viver a beleza da nossa vocação batismal e a alegria de testemunhar Cristo no mundo. Ser batizado é sempre e ao mesmo tempo uma exigência de viver a fé e a consciência de ser enviado em missão”, sublinha.

A Igreja do Funchal “associa-se aos bispos e ao Santo Padre” neste ano missionário com o objetivo de “inspirar, apoiar, potenciar e integrar” a ação pastoral diocesana “num projeto conjunto de Igreja, gerando verdadeiros dinamismos de unidade e maior eficácia pastoral”.

A diocese quer apresentar a importância do “encontro pessoal com Jesus Cristo”, reavivando a consciência do batismo e da missão, valorizando os tempos e momentos litúrgicos, promovendo a criação de grupos de “meditação e vivência da Palavra de Deus” e apostando na revitalização das “Festas em honra ao Santíssimo Sacramento”.

O programa compreende a valorização do testemunho “dos santos e missionários”, contando para isso com um aprofundamento e conhecimento dos “missionários que tiveram um papel relevante na evangelização das ilhas”, bem como os que partiram para a missão em “outros continentes”.

Quer a diocese “valorizar, ao longo do ano, datas de maior expressão missionária”.

No campo da formação e reflexão, o programa pastoral propõe a promoção da “leitura e estudo” dos documentos do magistério sobre as missões, em especial a exortação apostólica «Evangelii nuntiandi», de Paulo VI, da carta encíclica «Redeptoris Missio», de João Paulo II e da exortação apostólica «A Alegria do Evangelho», do Papa Francisco.

O programa pastoral compreende ainda a formação bíblica através de cursos, a formação de leigos ao serviço da pastoral litúrgica, bem como o investimento na preparação para os sacramentos: “incentivar a participação dos noivos nos cursos de preparação para o Matrimónio”.

Quer ainda a diocese “reativar o Departamento de Iniciação cristã dos Adultos e Secretariado de animação Missionária”.

O programa pastoral agora apresentado manifesta a importância da dimensão caritativa neste ano missionário, intensificando “o esforço de ação social e caritativa da Igreja, nas paróquias, grupos e movimentos”.

É solicitado às comunidades a formação de “pessoas e grupos de voluntários para a missão em comunidades, em espírito de “saída” ao encontro de todos”.

O programa quer ainda “incentivar o conhecimento e a participação dos leigos nos diversos grupos e movimentos, que já trabalham nas comunidades paroquiais”.

LS

Partilhar:
Share