Digressão nacional, com participação de jovens portugueses, começa no Fórum Braga

Lisboa, 26 abr 2019 (Ecclesia) – O grupo internacional feminino ‘Gen Verde’, do Movimento dos Focolares, vai apresentar o concerto ‘From the Inside Outside’ e dinamizar workshops com alunos de escolas, em diversas cidades portuguesas, entre sábado e 30 de maio.

“Nestes últimos anos perceberam que gostariam de incidir mais sobre os jovens e teriam que aprender com eles. Para isso, começaram por trabalhar com eles através de workhops, antes do concerto, e a fazê-los participar no próprio concerto”, disse Madalena Sepúlveda Maia à Agência ECCLESIA.

A entrevistada, que pertence ao Movimento dos Focolares, sublinha que o grupo ‘Gen Verde’ “não se limita apenas” a expor as músicas e coreografias, mas inclui “os próprios jovens no concerto”.

Guilherme Corga, do mesmo movimento, contextualiza que os workhops de canto, teatro ou dança têm a duração de três horas, por bloco, ao longo de três dias, e surgiram de “uma vontade de mudar um bocado o paradigma, uma vontade de chegar aos jovens”.

O jovem explica que o grupo apresenta “variadíssimos estilos” musicais, consoante os países de origem das suas “integrantes”, que, atualmente, “falam cinco línguas”.

“Também procuram integrar o que é a sua cultura nos espetáculos: desde o K-pop da Coreia do Sul ao pop latino, até reggaeton, rap, o pop-rock”, exemplificou.

Segundo Madalena Sepúlveda Maia, os participantes fazem a experiência de “procurar no dia-a-dia” a “experiência do Evangelho vivo e, através disso, têm inspiração de criar todas as músicas, e todo o espetáculo”.

Esta metodologia, acrescenta, “tem um impacto enorme” para os jovens, uma vez que fazem esta experiência na música, que, “em geral, gostam”, de procurar “criar laços de comunhão uns com os outros e com o grupo”.

“É importante os jovens primeiro sentirem-se confortáveis e descobrirem esta luz dentro de si para depois estarem abertos e construírem com os outros este mundo de paz que todos ambicionamos”, desenvolveu, por sua vez, Guilherme Corga.

Os concertos vão começar em Braga, às 21h00 desta sexta-feira; os bilhetes custam 10 euros e estão à venda na Escola Alberto Sampaio, no Colégio D. Diogo de Sousa, na Basília dos Congregados e nos Serviços Centrais da Arquidiocese de Braga.

Depois, a digressão do grupo “internacionalidade e multiculturalidade” por Portugal continua durante o mês de maio nas cidades de Santa Maria da Feira (04), Fátima (10), Cascais (17), Évora (25) e Faro (30).

O ‘Gen Verde – International Perfoming Arts Group’ é composto por 20 artistas de 15 países – Argentina, Brasil, Canadá, Coreia do Sul, El Salvador, Equador, Irlanda do Norte, Itália, Malásia, México, Panamá, Portugal, Espanha, Estados Unidos da América (EUA) e Venezuela.

Guilherme Corga adianta que em ‘From the Inside Outside’ há, por exemplo, uma música sobre “a questão do muro” fronteiriço EUA-México.

O grupo já realizou mais de 1500 espetáculos, com um total de 69 discos editados em nove línguas, desde que foi fundado em 1966 no centro internacional dos Focolares, em Loppiano (Florença-Itália).

“No fundo, através da música conseguiriam transmitir a ideia de que aquilo que é mais importante é este amor ao próximo e através disso criar um mundo mais unido onde a fraternidade universal fosse possível”, desenvolveu Madalena Sepúlveda Maia.

Chiara Lubich, fundadora do movimento católico, ofereceu às raparigas uma bateria verde – ‘Gen Verde’ – e aos rapazes uma bateria vermelha – por isso, no grupo masculino são os ‘Gen Rosso’, que esteve em Portugal com o musical ‘Streetlight’, em novembro de 2017.

PR/CB/OC

 

Partilhar:
Share