D. Nuno Almeida, bispo auxiliar de Braga, presidiu a celebração no centenário do nascimento da fundadora dos Focolares

Braga, 23 jan 2020 (Ecclesia) – D. Nuno Almeida, bispo auxiliar de Braga, disse que Chiara Lubich contribuiu para o ecumenismo e o “amor à família”, na celebração do centenário do nascimento da fundadora do movimento dos Focolares. 

O prelado referiu-se “à espiritualidade e intuições místicas de Chiara, que contribuíram para o ecumenismo e «amor à família», um dos seus temas de eleição”, informa o ‘Diário do Minho’.

A Basílica dos Congregados, em Braga, acolheu a celebração de uma Eucaristia de Ação de Graças, esta quarta-feira, pelo centenário do nascimento de Chiara Lubich, fundadora do Movimento dos Focolares.

D. Nuno Almeida chamou a atenção chamou a atenção para os ensinamento e a o exemplo de Chiara Lubich que “esteve sempre enamorada por Deus, apaixonada pela Igreja e totalmente doada à humanidade”.

O bispo auxiliar de Braga recordou ainda uma palavra de Chiara aos jovens.

“Juntos, todos um, queremos olhar para um futuro de esperança, porque Deus nos deu o ideal. É também uma ocasião para exprimir o nosso agradecimento àquela que, tendo correspondido plenamente à luz do carisma que Deus lhe deu, abriu o caminho a muitos para serem portadores de uma nova espiritualidade. Façamos desta data um ponto de partida. Gratos por uma tão grande dádiva, agora é a vez de a comunicar a todos aqueles que nos rodeia”, citou.

Na página do Movimento dos Focolares, em Portugal, afirma-se que Chiara Lubich foi uma “figura carismática do século XX”, valorizando o “seu pensamento e ação em prol da fraternidade e da paz”, que se celebram no centenário do seu nascimento.

Está é uma ocasião, não tanto para lembrá-la com nostalgia, mas para a encontrar hoje nos milhares de pessoas que se dedicam a um mundo mais unido e pacífico, nos movimentos económicos, políticos e culturais que nasceram da sua espiritualidade”, refere-se.

Em novembro de 2019 concluiu-se a fase diocesana da causa canonização de Chiara Lubich, na Catedral de São Pedro, em Frascati, Itália.

O postulador da causa é o sacerdote português Silvestre Marques, o qual relata, em nota enviada à Agência ECCLESIA, que esta primeira fase recolheu 75 caixas de documentação, entregues à Congregação para as Causas dos Santos, na pessoa do seu prefeito, cardeal Angelo Becciu.

Em causa estão cerca de cinco anos de investigações e aprofundamento sobre a vida, as virtudes e a fama de santidade.

Chiara Lubich, nascida Silvia Lubich (Trento, 22 de janeiro de 1920 — Rocca di Papa, 14 de março de 2008) foi a fundadora do Movimento dos Focolares, um movimento que tem como finalidade a construção de um mundo unido.

PR/SN

Partilhar:
Share