Situa-se em Ourém e chama-se Casa Velha. Da fragilidade do tempo que por ali passou se consolidou um projeto que reconheceu a espiritualidade e a ecologia como alicerces de futuro, convidando jovens, famílias e comunidades a partilharem o caminho de conversão ecológica no cuidado com a terra e uns dos outros. Em tempo de pandemia a Casa Velha continua de portas abertas e o jornalista Paulo Rocha, guiado por Margarida Alvim, da direção da ‘Casa Velha – Ecologia e Espiritualidade’, foi conhecer o espaço num dia em que a terra evidenciava ser o sustento de todo o projeto, quando os sobreiros disseram ser hora de retirar a cortiça.

Partilhar:
Share