«Bênção dos capacetes» levou colorido especial ao Santuário, com 130 mil participantes

Foto: Santuário de Fátima

Fátima, 22 set 2019 (Ecclesia) – O Papa enviou hoje a bênção apostólica aos milhares de participantes na Peregrinação Nacional dos Motociclistas, conhecida popularmente como “Bênção dos Capacetes”, que decorreu no Santuário de Fátima, pedindo que nunca coloquem vidas em risco.

Francisco apela ao “respeito de todas as pessoas, ao amor, à caridade recíproca, a jamais pôr em perigo a própria vida e a dos demais, a moderar a pressa, a impaciência, a euforia da velocidade, para nunca serem causa de lágrimas e de sofrimento”.

“A quantos correm velozes pelas estradas do mundo com as suas esplêndidas motos, obras-primas da inteligência e da técnica”, o Papa encoraja a “elevar o pensamento e o afeto” para Nossa Senhora dos Motociclistas, sua padroeira.

A mensagem foi lida pelo capelão da GNR, ele próprio acompanhado de um capacete, debaixo do braço.

Em 2019, a peregrinação integrou-se no programa oficial de domingo na Cova da Iria, com participação no Rosário e na Missa dominical no Recinto de Oração.

A celebração eucarística foi presidida pelo bispo das Forças Armadas e de Segurança, D. Rui Valério, que saudou todos os que “fazem dos caminhos uma forma de vida”, antes de elogiar, na sua homilia, a “camaradagem”, que considerou uma marca da “mística motard”.

Quando juntos trilhais os quilómetros das estradas, estais a dar ao mundo um maravilhoso testemunho da força da união que vos mantém coesos: juntos consegue-se vencer obstáculos e alcançar metas. A entreajuda é o antídoto mais eficaz para curar a doença social, hoje muito em voga, que é a cultura do descarte ou seja, de se interessar pelo outro só enquanto ele nos seja útil”.

O presidente da celebração assinalou que já na Bíblia há referências a “injustiças, desigualdades sociais, situações de exploração dos pobres pelos poderosos e casos flagrantes de corrupção”.

Foto: Santuário de Fátima

“A Palavra de Deus faz eco de todas as situações que vitimam os seres humanos, que atropelam a sua dignidade. Mas fá-lo para profeticamente as denunciar e sobretudo para as libertar das amarras da perdição e colocá-las na rota da redenção”, apontou D. Rui Valério.

O responsável pelo Ordinariato Castrense em Portugal observou que o ensinamento de Jesus Cristo deve levar à rejeição da idolatria do dinheiro, porque “só Deus garante a plenitude da vida”.

“O dinheiro, por exemplo, dá-nos algumas coisas, mas priva-nos de tantas outras! E muitas vezes, priva-nos de aspetos essenciais à vida, como a generosidade, o amor fraterno e a valorização da pessoa humana, qualquer que seja a sua condição. Só Deus nos dá a plenitude, só Ele garante a nossa integridade de vida e de missão”, sustentou.

Com início em 2014, a “bênção dos capacetes” acontece anualmente, sempre com um fim solidário.

Dezenas de estandartes foram colocados no corredor central do Recinto de Oração, antes de bênção, na qual se recomenda “precaução e segurança” aos motociclistas, entre os quais se incluíam, por exemplo, profissionais do INEM.

D. Rui Valério aspergiu a assembleia com água benta, num gesto repetido por vários sacerdotes, ao longo da multidão, durante vários minutos, antes do ato de consagração dos motards a Nossa Senhora de Fátima.

O cardeal D. António Marto, bispo de Leiria-Fátima, também se quis associar à celebração, com uma mensagem: “Que Nossa Senhora de Fátima vos abençoe, acompanhe e proteja ao longo dos vossos caminhos”.

“Seja ela a estrada segura que vos leve ao horizonte sem fim, que é a vida boa e bela com Deus e com os irmãos”, desejou.

Segundo o Santuário de Fátima, a celebração dominical reuniu 130 mil participantes.

OC

Notícia atualizada às 13h00

Partilhar:
Share