Gabriella Gambino, subsecretária do Dicastério para os Leigos, a Família e a Vida, apresentou no X Encontro Mundial das Famílias um itinerário «Catecumenato matrimonial»

Ricardo Perna, da Família Cristã, em serviço especial para a Agência ECCLESIA

Foto Ricardo Perna/Família Cristã – Gabriella Gambino

Cidade do Vaticano, 25 jun 2022 (Ecclesia) – Gabriella Gambino, subsecretária do Dicastério para os Leigos, a Família e a Vida, afirmou que a preparação para o matrimónio deve acontecer desde uma “pastoral remota”  e seguir um itinerário “catecumenal”.

“A coisa mais importante creio que é a biografia de um percurso catecumenal. O itinerário tem esse objetivo: criar um percurso vocacional que, desde a pastoral remota, da preparação das crianças para os sacramentos, inclua um percurso de discernimento sobre a vocação à vida religiosa ou à vida matrimonial, considerando-a uma peculiaridade do percurso”, afirmou a colaboradora do Vaticano à Agência ECCLESIA.

A subsecretária do Dicastério para os Leigos, a Família e Vida, que apresentou no X Encontro Mundial das Famílias o tema “Catecumenato matrimonial”, considera que o “discernimento vocacional” deve ligar as várias fases da vida e “seguir um itinerário que tenha continuidade em toda a vida” até chegar “à fase posterior ao matrimónio”.

“A celebração do rito não é um ponto de chegada, mas é um ponto de partida”, afirmou.

Uma semana antes do atual Encontro Mundial das Famílias, o Vaticano publicou um documento, da responsabilidade do Dicastério para os Leigos, a Família e a Vida, com novas orientações para o Matrimónio, com prefácio do Papa Francisco, onde se afirma que tempo de preparação deve tornar-se “parte integral de todo o procedimento do Matrimónio sacramental”, introduzindo os “Itinerários catecumenais para a vida matrimonial”.

Gabriella Gambino sublinhou a importância de “acompanhar os esposos na vida matrimonial pelo menos nos primeiros anos” para os ajudar a “enfrentar as dificuldades normalíssimas da vida quotidiana e que, por vezes, quando não acompanhadas, podem transformar-se em crises profundas e talvez definitivas”.

A subsecretária do Dicastério para os Leigos, a Família referiu que considerar a preparação para o matrimónio desde os anos da catequese exige um “processo de renovação pastoral”, o que “não será fácil” e vai depender do ritmo das várias dioceses e das zonas do mundo.

“O aspeto principal é: começar a dedicar um cuidado maior no acompanhamento dos jovens comprometidos com o matrimónio para que não seja uma preparação imediata, de pouco tempo, mas seja uma preparação próxima, durante um tempo mais longo, para que seja possível um verdadeiro discernimento”, sustentou.

Gabriella Bambino lembrou que os itinerários catecumenais sugerem “princípios gerais” que depois cada realidade local aplica à pastoral local “com liberdade, inteligência pastoral e criatividade” e disse que o não existe preocupação com estatísticas, mas com cada pessoa.

“O itinerário catecumenal tem a finalidade de ajudar cada um a compreender a sua vocação. E se, depois de um percurso de verdade, dá conta que aquele não é o caminho, que não o abrace. O tema é sempre o ‘Querigma’, o anúncio do Evangelho. E conta cada pessoa, cada pessoa é importante, não conta o número”, afirmou.

O X Encontro Mundial das Famílias está a decorrer em Roma, em ligação com as dioceses de todo o mundo; a delegação de Portugal a este encontro, no Vaticano, é constituída pelos seis casais do Departamento Nacional da Pastoral Familiar, a irmã Inês Senra, o assistente padre Francisco Ruivo,  o presidente da Comissão Episcopal Laicado e Família D. Joaquim Mendes, D. Armando Esteves, que integra a mesma comissão, e o secretário da comissão José Francisco Cruz.

PR

Reportagem em Roma no âmbito do X Encontro Mundial das Famílias resulta de uma parceria entre a Agência Ecclesia, a Família Cristã, o Diário do Minho e a Associação de Imprensa de Inspiração Cristã

Partilhar:
Share