Igreja do Espírito Santo; Foto João Caeiro

Évora, 07 mai 2020 (Ecclesia) – O Seminário Maior de Évora assinou o contrato de recuperação/requalificação da igreja do Espírito Santo, esta quarta-feira, e as obras para tornar num “ponto de referência do património cultural, devocional e turístico” estão previstas serem cumpridas em 18 meses.

“Estão previstas as obras de restauro, estrutura e consolidações, infraestruturas elétricas, mecânicas, águas e esgotos, museológicas e acessibilidades exteriores”, informa a Arquidiocese de Évora.

Com esta intervenção pretende-se “dotar” a igreja do Espírito Santo de todas as condições necessárias para que seja um “ponto de referência do património cultural, devocional e turístico” da cidade de Évora, com a abertura regular ao público e acesso a espaços reservados, como “à sacristia e ao extraordinário conjunto de pinturas murais do teto”, articulando composições de grotescos com o ciclo de pinturas sobre a vida de Santo Inácio de Loyola, fundador da Companhia de Jesus (Jesuítas).

A aprovação da candidatura para o financiamento da recuperação/requalificação da histórica igreja eborense construída nos anos de 1566/72, ao abrigo do Programa Operacional Regional do Alentejo, Alentejo 2020, que possibilita “a urgente intervenção” através da captação de 2 461 383.81 euros, e deste valor base “25% terão que ser assumidos pela entidade adjudicante”, o Seminário Maior de Évora.

O concurso público para a salvaguarda e valorização da igreja do Espírito Santo, “testemunho essencial da arquitetura, arte e missão” dos Jesuítas foi publicado em Diário da República, a 28 de outubro de 2019.

CB/OC

Partilhar:
Share