D. Francisco Senra Coelho pretende que estes sejam “de paz e solidariedade”

Foto: Arquidiocese de Évora

Évora, 31 dez 2021 (Ecclesia) – O arcebispo de Évora escreveu uma mensagem sobre a receção dos símbolos da Jornada Mundial da Juventude que entraram, esta sexta-feira, naquele território que tem “coração aberto e disponível” para os levar a todos.

“É com a maior alegria, e gratidão à Igreja de Nosso Senhor Jesus Cristo, que recebemos os Símbolos da Jornada Mundial da Juventude, a decorrer, querendo Deus, em Lisboa no próximo ano de 2023 de 1 a 6 de agosto e eis-nos de coração aberto e disponível a receber e levar os símbolos da JMJ a todos”, escreveu D. Francisco Senra Coelho, em mensagem enviada à Agência ECCLESIA.

O arcebispo de Évora espera que neste mês de janeiro, “previsivelmente preocupante devido à evolução da pandemia Covid-19”, se consiga “valorizar a qualidade” dos encontros para “superar o melhor possível aquilo que a distância protetora vai exigir e impor”, lê-se no documento.

Apesar das “limitações previsíveis”, D. Francisco Senra Coelho exorta a viver “este tempo de graça com a alegria cristã fundamentada na certeza que o Senhor Jesus está connosco”.

Os símbolos da JMJ são sinal “de comunhão com o Papa, a Igreja universal e todos os jovens do mundo”, por isso a Igreja eborense vai “dar o melhor e fazer o possível para que a sua presença desperte em todos, sinal de paz e solidariedade”.

Nas “Orientações Pastorais para a Celebração da JMJ nas Igrejas Particulares”, Vaticano 2021, o Papa Francisco reafirmou que as Jornadas Mundiais da Juventude constituem um “impulso missionário de extraordinária força para toda a Igreja e, em particular, para as novas gerações”.

“Todos devem se sentir convidados especiais, todos devem se sentir esperados e bem-vindos, em sua singularidade irrepetível e riqueza humana e espiritual”, sintetiza D. Francisco Senra Coelho.

LFS

Chegada dos símbolos da JMJ à Arquidiocese de Évora.
Partilhar:
Share