D. Francisco Senra Coelho rezou pela paz na Ucrânia

Évora, 27 jan 2022 (Ecclesia) – O arcebispo de Évora presidiu esta quarta-feira à Eucaristia de envio de duas equipas do Caminho Neocatecumenal, que vão estar em missão no território da arquidiocese alentejana, rezando pela paz na Ucrânia.

“Vão percorrer caminhos, estradas, ruas, praças, igrejas, onde todos os dias passam os homens, as mulheres, as sinagogas do nosso tempo, e vão fazer o convite, a catequese, o anúncio, a proclamação”, disse D. Francisco Senra Coelho na homilia da Missa, transmitida online.

O arcebispo explicou que as duas comunidades ligadas ao Caminho Neocatecumenal – um presbítero, um diácono, um seminarista venezuelano do Seminário Redemptoris Mater, várias famílias, casais, pessoas singulares – que “vão disponibilizar-se para a missão”, mandatados pela Igreja, vão partir em itinerância para localidades e paróquias de Évora, de Borba e de Elvas.

“Vamos pedir ao Senhor que seja fecunda essa proclamação e que ao darem tudo, eles recebam tudo, que no fim se misture a alegria daqueles que acolheram a palavra semente, com a alegria dos que foram levar”, acrescentou.

No contexto da missão, e a partir da liturgia, D. Francisco Senra Coelho assinalou que “é a verdade, a verdade total, transparente”, que se leva, e não “as seguranças, os instrumentos, os métodos, dos meios, da psicologia, da sociologia, da capacidade de fazer proselitismo, das técnicas de marketing, de apresentação de produto, da simulação”.

“É importante perceber que a construção do Evangelho constrói a comunhão da família, da comunidade. É a partir da paz na família, das crianças, dos adolescentes, nos jovens, casais, nos idosos, avós, bisavós, que se constrói a rede da paz social”, desenvolveu.

O Caminho Neocatecumenal nasceu em Espanha, em 1964, por iniciativa do pintor e músico Kiko Argüello e da missionária Carmen Hernández, já falecida, e chegou a Portugal por volta de 1969; É reconhecido pela Igreja Católica como um itinerário de formação válido para a sociedade e os dias de hoje.

D. Francisco Senra Coelho destacou que a missão evangelizadora da Igreja é importante para a paz e é a “oferta de um dom gratuito, que é o Senhor ressuscitado, que constrói a paz”.

A Igreja Católica celebrou esta quarta-feira uma jornada mundial de oração pela paz na Ucrânia, convocada pelo Papa Francisco, e D. Francisco Senra Coelho lembrou as comunidades ucranianas presentes na arquidiocese, nomeadamente as que são acompanhadas pelo padre Ivan Hudz, em Évora, e pelo padre Taras Goyvanyuk, em Benavente.

“Vamos rezar com eles pedindo que o povo ucraniano seja respeitado na sua liberdade, nas suas opções, na sua história longa de identidade”, disse no início da celebração o arcebispo de Évora.

A Rússia tem cerca de 100 mil soldados nas fronteiras com este país de leste e a NATO tem reforçado a ajuda militar à Ucrânia.

Após a revolução pró-ocidental de 2014, em Kiev, Moscovo anexou a região da Crimeia, apoiou movimentos separatistas nas províncias de Donetsk e Luhansk, com elevado número de mortos e milhões de pessoas deslocadas.

CB/OC

Partilhar:
Share