«Igreja continuará a fazer tudo para defender a vida humana», indica a CEP

Foto: Agência ECCLESIA/OC

Fátima, 11 nov 2021 (Ecclesia) – A Conferência Episcopal Portuguesa (CEP) apelou hoje à intervenção das “mais altas instâncias” do país para travar a legislação aprovada pelo Parlamento na última semana, sobre a eutanásia.

“Esperando que as mais altas instâncias do país se pronunciem de acordo com as prerrogativas constitucionais de que dispõem, a Igreja continuará a fazer tudo para defender a vida humana e lutar para que se generalizem cada vez mais os cuidados paliativos a que qualquer cidadão tem direito”, refere o comunicado final da 201ª Assembleia Plenária da CEP, que decorreu desde segunda-feira, em Fátima.

Em conferência de imprensa, D. José Ornelas, presidente da Conferência Episcopal, sublinhou que esta é “uma questão, sobretudo, de respeito pelo sofrimento das pessoas”.

O bispo de Setúbal sustentou que “uma sociedade que se quer humanista” não pode propor a morte como solução para uma pessoa que sofre, defendendo a criação de um “ambiente humanizador, afetivo, de acolhimento”.

Os bispos católicos questionaram ainda que a lei da eutanásia tenha sido aprovada por “uma Assembleia da República em fase de dissolução”.

“A defesa intransigente do direito à vida inscrito na Constituição da República, que deve ser respeitado sem o recurso à morte, está acima de qualquer ideologia”, acrescenta o comunicado.

Os trabalhos abordaram ainda questões ligadas à crise provocada pela Covid-19, tendo a Assembleia mostrado “a sua preocupação com a incerteza destes tempos pandémicos nas áreas da saúde, economia e apoio social”.

“A crise energética já faz sentir os seus efeitos, sobretudo nas populações mais empobrecidas”, advertem os bispos.

A CEP deixa votos de que a Estratégia Nacional de Combate à Pobreza 2021-2030 seja “um pilar para o desenvolvimento da população, solicitando que os organismos da pastoral social contribuam com as suas avaliações”.

Isabel Capeloa Gil, reitora da Universidade Católica Portuguesa, o padre José Manuel Pereira de Almeida, vice-reitor da mesma instituição, falaram aos bispos do novo curso de Medicina da UCP.

OC

O comunicado final da Assembleia de CEP deixou uma referência à COP26, a cimeira do clima que esta a terminar em Glasgow, que aponta à uma “solidariedade efetiva, convergência de vontades e o compromisso com atitudes concretas”.

D. José Ornelas destacou que a ação do Papa “veio pôr também no centro da agenda da Igreja” esta questão das alterações climáticas e da proteção do ambiente.

 

Igreja/Política: Presidente da Conferência Episcopal fala em momento «delicado» (c/vídeo)

 

Partilhar:
Share