Berlim, 14 jun 2014 (Ecclesia) –  O Scalabrini International Migration Network (SIMI) em conjunto com Konrad Adenauer Stiftung organizaram em Berlim, Alemanha, o V Fórum Internacional sobre Migração e Paz onde afirmaram a necessidade de permanente “atenção ao migrante” e às “políticas migratórias”

“Atenção ao migrante e incidência sobre as políticas migratórias constituem duas faces da mesma moeda”, refere o comunicado enviado hoje à Agência ECCLESIA.

“Tornou-se evidente, desde o início, que a convivência democrática entre pessoas, línguas, povos e nações distintas não pode ser dada por adquirida. Exige, antes, uma tarefa árdua e conjunta, laboriosa e prolongada, tanto do ponto de vista dos próprios imigrantes quanto das comunidades que os acolhem”, sustenta o documento.

Para os participantes no V Fórum Internacional sobre Migração e Paz é necessário uma criar uma “rede de apoio permanente” às populações em trânsito e lutar por “leis de imigração menos rígidas e discriminatórias”.

“Regiões e países de origem, trânsito e destino são interpelados à formação de uma rede de apoio permanente, onde jogam um papel relevante a acolhimento e a assistência social, política, jurídica e cultural, por um lado, e o empenho na busca de leis de imigração menos rígidas e discriminatórias, por outro”, referem os participantes no encontro.

“Igualmente evidente é o desafio de construir uma verdadeira prática democrática num ‘terreno homogêneo’, como é o campo da mobilidade humana, cada vez mais pluriétnico e multicultural”, afirma-se.

O SIMI, estrutura dos Missionários Scalabrinianos que analisa questões relacionadas com a atividade principal dessa congregação religiosa, recorda que “a democracias tradicionais muitas vezes têm como base uma certa homogeneidade linguística, territorial, histórica e cultural”.

“Hoje em dia esse ‘paraíso perdido’ desfaz-se progressivamente, sem qualquer possibilidade de retorno ao saudosismo. No lugar disso, levanta-se a tarefa bem mais dedicada de uma democracia plural em todos os seus aspetos. Em lugar de muros de separação, trata-se de erguer pontes de integração num universo heterogêneo, polifônico e polissémico”, afirma o documento.

V Fórum Internacional sobre Migração e Paz reuniu instituições e entidades da sociedade civil, de autoridades governamentais de diversos países, estudiosos do tema e da causa dos migrantes, agentes que trabalham no campo das migrações, com destaque para os três ramos da Família Scalabriniana (padres irmãs e missionárias seculares).

PR

Partilhar:
Share