Opiniões afirmadas à Agência ECCLESIA por elementos das delegações do Brasil, Colômbia, França, Inglaterra e Portugal

Fátima, 18 jul 2018 (Ecclesia) – O Encontro Internacional das Equipas de Nossa Senhora (ENS), que decorre em Fátima, é um fórum de transmissão das preocupações e desafios das famílias, nos vários continentes.

Em entrevista à Agência ECCLESIA, Françoise Gaussel, que viajou para Portugal com o seu marido Rémi, desde a cidade de Bordéus, em França, salienta a importância de fazer o mundo voltar a olhar para a família, e para o matrimónio, como algo de positivo e essencial na sociedade.

“O que nós queremos é redinamizar a força do sacramento do matrimónio, e mostrar a todos que a vida em casal é verdadeiramente, desde o início um chamamento, um chamamento difícil, mas é um bom chamamento”, sustentou.

Ao todo, são mais de quatro mil os casais que estão presentes no Santuário de Fátima, para até sábado, dia 21 de julho, refletirem em conjunto e partilharem dificuldades e propostas.

“É uma oportunidade maravilhosa, porque é todo o espírito do movimento que se reúne aqui, de modo internacional, é ver como a partir de diferentes países, de diferentes culturas todos estamos a afirmar o mesmo trabalho, as mesmas convicções e a mesma forma de enfrentar a nossa vida conjugal”, sublinha Fernando Londoño, proveniente da Colômbia.

Já a sua esposa Sílvia, aponta como principais preocupações dos casais a educação dos filhos, em especial no que toca à fé, quando hoje as novas gerações andam cada vez mais afastadas da Igreja.

Destaca também o desafio da “desigualdade social” que marca o seu país, de forma muito “vincada”.

“Por intermédio da nossa equipa procuramos ser solidários e ter uma visão diferente, não excluindo, mas sendo muito mais abertos a todos”, acrescenta.

Fundado pelo padre francês Henri Cafarell (1903 – 1996) que tem processo de beatificação a decorrer no Vaticano, as ENS são um projeto católico de espiritualidade conjugal, para leigos, que procura ajudar os casais na sua vivência a dois, com os filhos, em família.

Cada equipa é constituída por cinco a sete casais, unidos na Igreja Católica pelo sacramento do matrimónio, e assistida por um sacerdote.

O compromisso destas equipas prevê a realização de pelo uma reunião mensal, na casa de um dos casais; também a atenção à oração e à leitura da Bíblia em casal, a participação em retiros, e a observância de regras como ‘o dever de sentar-se’, para favorecer o diálogo em casal.

“Ao fazermos parte de uma equipa estamos entre amigos que entendem os nossos problemas, que nos vão ouvir e apoiar, e foi isso que encontrámos na nossa primeira reunião, imediatamente sentimo-nos em casa”, recorda a britânica Helen McCloskey, acompanhada pelo seu marido, Paul.

O casal Eliseu e Maria Causing chegou à Cova da Iria proveniente do Brasil, atualmente a região mais representativa do Movimento das ENS.

“Nós estamos nas ENS há 38 anos e temos quase 43 anos de casados. Sem este Movimento com certeza a nossa família, o nosso casamento, não seria o mesmo”, frisa a mulher.

Os dois trabalham em Brasília, no apoio ao tribunal eclesiástico da arquidiocese, no que toca a processos de requerimento de nulidade matrimonial.

“Nós sabemos como é difícil muitas vezes a vida de casado, então todo o nosso trabalho, desde o momento em que nos casámos, foi dedicado a trabalhar com casais, com famílias, no aconselhamento conjugal”, apontou Eliseu.

Este encontro mundial das ENS em Fátima tem sido marcado também pela participação das novas gerações, dos filhos dos casais, nomeadamente no apoio à organização, como é o caso do casal Tiago e Regiane Libano Monteiro, ele português, ela natural do Brasil.

“Nós temos sete filhos e estão cá, desde os 24 anos até aos 13, e nós desafiámo-los também, porque fazemos parte da organização, a virem cá como voluntários e a ajudarem-nos com a preparação e com o ambiente cá. E eles aceitaram o desafio e a verdade é que estão todos muito contentes. Perceber a dimensão que é este movimento de casais”, referiu o esposo.

Os trabalhos em Fátima prosseguem até este sábado, com destaque para a participação de D. José Tolentino Mendonça, novo arcebispo português nomeado pelo Papa Francisco, que está a orientar as meditações matinais deste encontro mundial das Equipas de Nossa Senhora.

Esta quinta-feira, a iniciativa estará em destaque no Programa ECCLESIA na RTP2, a partir das 15h00, com uma reportagem junto dos participantes do evento.

JCP

Partilhar:
Share