Guarda, 30 mar 2019 (Ecclesia) – O Departamento Diocesano do Ensino Religioso Escolar (DDERE) da Guarda está a dinamizar a campanha ‘Um Sorriso para Nampula’ e desafiou os professores da disciplina de Educação Moral e Religiosa Católica (EMRC) à solidariedade com um projeto em Marrere, Moçambique.

“Estamos a dedicar o nosso tempo a uma causa que é justa e no âmbito da missão merece toda a atenção. É direcionado aos professores sentirem que é importante dedicarmo-nos a alguma coisa”, disse a docente Estela Brito à Agência ECCLESIA.

A responsável pelo DDERE da Guarda adianta que os alunos também “são desafiados”, os professores estão a falar da campanha solidária e, da sua experiência, “a reação está a ser positiva”.

“Os alunos têm contribuído e a recetividade tem sido muito positiva. Eles estão recetivos a ajudar o outro e ficam sensibilizados por não terem as mesmas condições que eles têm”, acrescentou, realçando que “cada um dá o que pode”, se quiser, e pretende-se que “sintam que estão a colaborar com uma causa”.

A campanha solidária ‘Um Sorriso para Nampula’ destina-se a um projeto que os Missionários de São João Baptista, que em Portugal estão em Lisboa e Gouveia, desenvolvem há dez anos, em Marrere, na província de Nampula, em Moçambique.

“Achamos que poderíamos apostar mais na ajuda às crianças, temos jardim infantil com 500 crianças, ensino primário, e queremos que haja uma certa colaboração. Sem as ajudas materiais é quase impossível realizarmos este sonho”, explicou o padre Carlos Jacob.

O missionário assinalou que, em 2008, o arcebispo de Nampula “lançou o desafio” de desenvolverem um projeto dedicado à educação e à saúde, na missão do Marrere, depois de estarem em Murrupula, desde 1992.

“Na educação alargamos, hoje, têm ensino técnico profissional na área de carpintaria, serralharia, construção civil, agricultura, e gestão patrimonial. Têm ensino pré-primário, e a evangelização”, declarou, antes de precisar que as comunidades também foram, “praticamente todas”, dotadas de “furo artesiano para que tenham água potável e desapareçam algumas doenças”.

Quanto à saúde, destaca-se um hospital geral, com 150 camas, que recebe cerca de 300 a 350 doente, onde os missionários asseguram o jantar, além de enviar “voluntários – médicos, enfermeiros” – “sobretudo, material – cadeiras de rodas, andarilhos, camas” – e medicamentos com ajuda de “várias organizações”.

O padre Carlos Jacob, natural de Aldeia Viçosa, no Concelho da Guarda, apresentou o projeto aos professores de Educação Moral e Religiosa Católica, numa reunião a 2 de março.

Atualmente Moçambique, particularmente a região da Beira, vive uma situação de emergência, causada pela passagem do Ciclone Idai, e a professora Estela Brito refere que estão a recolher roupa, a “criar uma rede solidária” para enviar através de uma campanha já em curso.

O Departamento Diocesano do Ensino Religioso Escolar da Guarda vai entregar o valor angariado para a campanha ‘Um Sorriso para Nampula’ na reunião final de ano letivo, a 13 de julho, em Vilar Formoso.

A responsável do DDERE da Guarda lembra ainda que em 2018, neste tempo da Quaresma, apoiaram a Fazenda Esperança, “uma instituição que trabalha com pessoas que têm algumas dependências”, com quem tiveram “um dia de convívio muito interessante”.

Estela Brito destaca que EMRC, que tem “o seu contributo e papel dentro de um contexto escolar”, está ligada “ao mundo atual, ao contexto de mudança”, que é importante acompanhar, numa disciplina que “tem o objetivo de formar os alunos para os valores”.

Até ao final deste ano letivo destacam-se duas grandes atividades para os alunos de Educação Moral e Religiosa Católica: 22.º Interescolas diocesano sobre ‘(Des)prende-te para Cuidares da Casa Comum!’, a 4 de abril, no Fundão; e o 2.º Encontro de alunos do 9.º ano ‘EMRC-(Des) prende-te para novos desafios!’, dia 10 de maio, em Trancoso.

CB

Partilhar:
Share