Bartolomeu I recebeu peregrinos do Instituto Católico de Viana do Castelo e da Basílica dos Congregados, em Braga

Foto: Arquidiocese de Braga

Braga, 11 ago 2022 (Ecclesia) – Delegações de dioceses católicas de Portugal e do Patriarcado Ecuménico (Igreja Ortodoxa) de Constantinopla trocaram visitas, neste mês de agosto, reforçando laços de colaboração.

O metropolita arcebispo ortodoxo de Portugal e Espanha do Patriarcado Ecuménico, Bessarion Komzias, esteve esta terça-feira com o arcebispo de Braga, D. José Cordeiro, no seguimento da audiência dos peregrinos do Instituto Católico de Viana do Castelo e da Basílica dos Congregados (Braga) ao patriarca Bartolomeu I, em Istambul, a 2 de agosto, informa uma nota enviada hoje à Agência ECCLESIA pela arquidiocese portuguesa.

O encontro contou com a presença de uma delegação do Patriarcado ortodoxo em Madrid, bem como dos padres Tiago Freitas e Paulo Terroso (delegado arquidiocesano para o ecumenismo), da Arquidiocese de Braga, e o padre Pablo Lima, da Diocese de Viana do Castelo, a cujo pedido foi concedida a audiência com o patriarca Bartolomeu.

“Vivemos um momento único na história da Igreja, nunca antes um Papa e um Patriarca Ecuménico foram tão próximos e tão amigos. Nos tempos difíceis em que vivemos, o Papa Francisco e o patriarca Bartolomeu são duas vozes proféticas”, destacou o metropolita arcebispo Bessarion.

Já o arcebispo de Braga recordou o seu encontro com o patriarca Bartolomeu em Munique, quando se encontrava a crismar emigrantes na cidade alemã, reafirmando “o desejo e a colaboração da arquidiocese com o clero e fiéis ortodoxos” em Braga.

O encontro de terça-feira contou com uma troca de ofertas: um “komboskini” ou rosário ortodoxo oferecido ao arcebispo primaz, e uma cópia cerâmica da fachada da Catedral de Braga ao metropolita ortodoxo.

“No contexto dos 20 anos da fundação da Metrópole de Portugal e Espanha a ocorrer em 2023, foram colocadas sobre a mesa possíveis iniciativas para reforçar as relações bilaterais entre a Igreja Católica e a Igreja Ortodoxa em Portugal, e a colaboração com o Instituto Católico de Viana do Castelo e a Basílica dos Congregados”, indica a nota divulgada após a audiência.

Já o encontro com o patriarca de Constantinopla (atual Istambul, na Turquia), contou com um grupo de 29 portugueses, membros do Instituto Católico de Viana do Castelo e da Basílica dos Congregados de Braga, recebidos na Residência Patriarcal do Fanar,

“Nós e o Papa Francisco somos não apenas amigos, somos verdadeiramente irmãos. Já nos encontrámos mais de dez vezes, durante estes nove anos do seu pontificado, mais de dez vezes! Aqui (em Constantinopla), em Roma, em Jerusalém, em Bari e em Assis”, referiu Bartolomeu I aos participantes na audiência.

O responsável ortodoxo destacou a necessidade de reformas para que o testemunho da fé cristã “seja mais aceitável, convincente”.

OC

Partilhar:
Share