«É hora de agir, estamos no limite», diz Francisco

Cidade do Vaticano, 22 abr 2021 (Ecclesia) – O Papa assinalou o Dia da Terra com uma videomensagem, divulgada pelo Vaticano, em que alerta para a urgência de agira contra as “catástrofes” das alterações climáticas e da Covid-19.

“A pandemia de Covid mostrou-nos a interdependência, a partilha do planeta. E ambas as catástrofes globais, a Covid e o clima, mostram que não temos tempo a perder”, refere Francisco.

A intervenção, transmitida online numa emissão do movimento ‘EarthDay.org’, sublinhou que a humanidade tem capacidade de responder a esta situação.

“O tempo está a pressionar-nos e, como mostrou a Covid-19, temos os meios para enfrentar o desafio. Temos os meios. É hora de agir, estamos no limite”, apelou o Papa.

Francisco elogiou a consciência cada vez mais generalizada de que “a natureza merece ser protegida”, com esforços especiais para “cuidar da biodiversidade”.

Nesta pandemia aprendemos muito mais. Esta pandemia também nos mostrou o que acontece quando o mundo para, faz uma pausa, mesmo que por alguns meses. E o impacto que isso tem na natureza e nas mudanças climáticas, de uma forma tristemente positiva, não é verdade?”

Francisco convidou a multiplicar esforços por um “planeta justo, equitativo e ambientalmente seguro”.

“Quando a destruição da natureza é deflagrada, é muito difícil pará-la, mas ainda temos tempo. E seremos mais resilientes quando trabalharmos juntos, em vez de sozinhos”, apontou.

A intervenção destacou que o impacto da pandemia e das mudanças climáticas deve levar “à inovação, à invenção, à busca de novos caminhos”.

“De uma crise não sai igual, saímos melhores ou piores. Este é o desafio e, se não melhorarmos, estaremos no caminho da autodestruição”, alertou o Papa, reforçando uma ideia que tem repetido desde o início da pandemia.

Francisco desafiou os líderes políticos a agir com coragem e justiça, falando a verdade, “para que as pessoas saibam como proteger-se da destruição do planeta”.

OC

Partilhar:
Share