Jornalista considera que o novo cardeal tem uma «grande simplicidade a expor» e uma «enorme erudição»

Lisboa 03 out 2019 (Ecclesia) – A jornalista Paula Moura Pinheiro disse à Agência ECCLESIA que D. José Tolentino Mendonça provocava um “estremecimento” a quem o ouvia na Capela do Rato e espera que o mesmo aconteça no Vaticano, com o semelhante “fulgor revolucionário”

“Espero que o padre Tolentino provoque o estremecimento na Santa Sé que sistematicamente provocou a nós que o ouvíamos pessoalmente na Capela do Rato durante tantos anos e tenha o mesmo fulgor revolucionário que sempre lhe conheci”, afirmou.

Paula Moura Pinheiro lembra a sua participação na comunidade da Capela do Rato, onde teve “por pastores padres maravilhosos”, considerando que “é impossível negar que o padre Tolentino tem características únicas” que o fazem “excecional”.

“Ele tem uma espécie de acesso e quando começa a conversar ilumina-se e passa a pertencer a qualquer coisa, de outra dimensão, metafisica. É o que eu sinto quando o ouço”, sublinhou.

Paula Moura Pinheiro indica que D. José Tolentino Mendonça “pode fazer muita diferença na Santa Sé” e “ajudar muito o Papa Francisco” porque é “alguém que nunca perde de vista Jesus e aquilo que jesus nos veio ensinar – amor, inclusão, um sentido humaníssimo de entender a humanidade e a complexidade da humanidade, as sombras da humanidade, de perdoar, de aceitar, sem deixar de ser exigente”

A jornalista lembra a “enorme honestidade intelectual e espiritual” de Tolentino Mendonça, assumindo “as sombras da Igreja” e propondo uma mesa “onde todos têm lugar”.

“O padre Tolentino Mendonça é de uma grande simplicidade a expor, o que só revela generosidade, mas é de uma enorme erudição”, acrescentou

Paula Moura Pinheiro considera que D. José Tolentino Mendonça tem uma “imensa curiosidade e disponibilidade”, é “um criador” e um “interlocutor absolutamente notável”. “Aprende-se sempre com Tolentino Mendonça”, concluiu.

O Papa Francisco nomeou cardeal o bibliotecário e arquivista da Santa Sé, D. José Tolentino Mendonça, no dia 1 de setembro; o poeta e sacerdote português vai receber as insígnias cardinalícias este sábado, dia 5 de outubro.

D. José Tolentino Mendonça nasceu em 1965 na localidade de Machico, no Arquipélago da Madeira, foi ordenado padre em 1990 e bispo no dia 28 de julho de 2018, no Mosteiro dos Jerónimos, quando completava 28 anos de sacerdócio, recebendo simbolicamente a sede episcopal de Suava, no norte de África.

O programa 70×7 deste domingo, emitido às 07h30, na RTP2, recolhe testemunhos de diferentes personalidades sobre as marcas do cardeal Tolentino Mendonça.

LS/PR

Partilhar:
Share