D. Américo Aguiar disse que o cardeal D. José Tolentino Mendonça vai dirigir uma mensagem aos jovens portugueses


Lisboa, 05 abr 2020 (Ecclesia) – O bispo auxiliar de Lisboa D. Américo Aguiar disse que, sem “desligar”, a preparação da Jornada Mundial da Juventude (JMJ) em Portugal está em “hibernação” porque o “a urgência e o foco” é o combate à pandemia covid-19.

“A urgência e o foco é pandemia. E temos de ter consciência disso, todos. A urgência a que somos chamados como povo, como humanidade, como Igreja, como Nação, é tratarmos da questão da pandemia. Tudo o resto passou para segundo lugar. Mas não precisamos de desligar, vamos entrar em hibernação”, disse o coordenador-geral da JMJ Lisboa 2022 em declarações à Agência ECCLESIA.

O Comité Organizador Local da JMJ 2022 é presidido pelo cardeal-patriarca de Lisboa, D. Manuel Clemente, e liderado por dois coordenadores-gerais: D. Joaquim Mendes, para a parte pastoral, e D. Américo Aguiar, para a logística.

Numa entrevista emitida este domingo no programa 70×7, na RTP2, D. Américo Aguiar lembrou que estava programada uma peregrinação de jovens a Roma nestes dias para celebrar com o Papa Francisco o Dia Mundial da Juventude, que a Igreja Católica assinala neste Domingo de Ramos, e para receber os símbolos da JMJ, a Cruz e o Ícone de Nossa Senhora.

“Infelizmente, nada disso se pode concretizar. Mas queremos que cada um possa viver na mesma, com profundidade, esta semana especial da vida dos cristãos, este Domingo de Ramos que nos levará ao Domingo de Páscoa”, afirmou.

Por causa da pandemia, a entrega do símbolos da JMJ a Portugal vai realizar-se em novembro, no dia 22, e não neste domingo, mantendo-se a celebração do Dia Mundial da Juventude “sem a vivência comunitária” e através das “propostas digitais” dos Secretariados Diocesanos da Juventude.

O programa da peregrinação a Roma dos jovens de Portugal, neste início de abril, previa um encontro com o cardeal D. José Tolentino Mendonça, que vai “manter” esse encontro e enviar uma comunicação aos jovens de Portugal.

“De coração generoso, ele disse que vai fazer um texto que vai partilhar com estes jovens e que faremos chegar a todos eles através das equipas diocesanas da juventude no Domingo de Páscoa. No Domingo de Páscoa vão ter um presente, que é uma mensagem, uma reflexão do cardeal José Tolentino dirigida aos jovens portugueses”, afirmou D. Américo Aguiar.

Sobre a preparação da JMJ em Portugal, o coordenador-geral disse que há passos dados, como a decisão sobre o logotipo e hino, que estão numa fase “quase pronta para divulgação”, considerando no entanto que o combate à pandemia não pode “desmobilizar a atenção de ninguém”.

“Não seria falta de respeito por aqueles que sofrem, por queles que estão no campo de batalha, estarmos a distraí-los com estas ferramentas da JMJ? Eu acho que seria desrespeito”, afirmou, acrescentando que há trabalho que continua a ser feito como a preparação da “plataforma de inscrições” e “muitos contactos” através da comunicação digital.

Nesta entrevista, D. Américo Aguiar valorizou o trabalho de ajuda em curso no contexto da pandemia covid-19, por iniciativa de instituições da Igreja Católica, rejeitando a ideia de que o anúncio da “decisão dolorosa de suspender as celebrações comunitárias” signifique virar as costas ao problema.

“Pode acontecer que, erradamente, sintamos que a única frente da presença da Igreja sejam as celebrações comunitárias. Não é essa a realidade efetiva da presença da Igreja no nosso país”, afirmou o bispo auxiliar de Lisboa.

D. Américo Aguiar lembrou a presença de sacerdotes em locais onde a Igreja é a única ligação às entidades administrativas regionais, referiu o “levantamento de estruturas” disponíveis que está a ser feito nas várias dioceses para acolher quem tenha de sair momentaneamente de lares de idosos, a ajuda alimentar em curso, a proximidade “recomendada” no ambiente hospitalar pelos capelães e o acompanhamento no ambiente prisional.

No contexto do isolamento social, o bispo auxiliar de Lisboa referiu-se também às “novas possibilidades que o ambiente digital oferece à pastoral”, nomeadamente com a possibilidade de “participar” e não “assistir” à Missa nos meios de comunicação social ou redes sociais.

Na entrevista ao programa 70×7, D. Américo Aguiar insistiu na necessidade de rejeitar a “tentação de viajar”, evitando a todo o custo circular no território para “não contagiar ninguém nem correr o risco de ser contagiado”, salvaguardando sobretudo os mais velhos.

O coordenador-geral da Jornada Mundial da Juventude em Lisboa, apelou aos jovens que mantenham a “serenidade possível” e “se disponibilizem ao voluntariado”.

A entrevista a D. Américo Aguiar é emitida no 70×7 deste domingo, às 17h40, na RTP2.

PR

Partilhar:
Share