Susana Queiroga, do Instituto de São João de Deus (ISJD), sublinha necessidade de maior investimento no setor

Lisboa, 06 out 2020 (Ecclesia) – Susana Queiroga, do Instituto de São João de Deus (ISJD), disse à Agência ECCLESIA que a saúde mental “ficou bastante esquecida” nas medidas de combate à pandemia de Covid-19.

“As pessoas ficaram fechadas nas suas casas, muito mais sozinhas, e todas estas as questões associadas à ansiedade, ao medo dos regressos, tudo isso aumento os problemas da saúde mental”, indicou a responsável, em entrevista emitida hoje no Programa ECCLESIA (RTP2).

Em declarações a respeito do Dia Mundial da Saúde Mental, que se celebra a 10 de outubro, a entrevistada destacou que este ano o tema está ligado às questões do financiamento do setor.

“Há que investir muito mais na saúde mental”, referiu.

Susana Queiroga destacou que, segundo a OMS, cerca de 2% do orçamento da saúde é canalizado para esta área, o que limita a ação das várias instituições.

“Nós, que estamos no terreno, deparamo-nos com isso todos os dias”, observou.

A responsável do ISJD admitiu uma maior procura, após um momento inicial de “retração”, pelo que foi necessário alargar a capacidade de resposta, “em número de camas e serviços”, como aconteceu na Madeira, face à pandemia de Covid-19.

Susana Queiroga recordou o impacto do confinamento e da “avalanche de informação inicial”, sublinhando que a divulgação constante de números gera “apreensão”.

“O facto de haver muita desinformação não ajuda nada no processo”, acrescentou.

O tema esteve em debate nas recentes Jornadas de Comunicação Social, organizadas pela Igreja Católica, este ano em edição online.

A entrevistada, que participou no grupo de trabalho sobre a informação, destacou a importância de oferecer dados “precisos” sobre o que está a acontecer, o que exige “reduzir, sistematizar”, sem perder qualidade.

O ISJD, acrescentou, olha para os jornalistas como “parceiros”, assumindo que é “muito difícil passar a informação sobre a saúde mental”, com base numa relação de “transparência e objetividade”.

O programa ECCLESIA vai divulgar semanalmente, a cada terça-feira, as conclusões dos vários grupos de trabalhos das jornadas, que decorreram de 24 a 25 de setembro, sobre as temáticas da Informação, assessoria, imprensa regional, conteúdos digitais, eventos online e ‘geração Z’.

PR/OC

Media: Relatar a pandemia para lá dos números (c/vídeo)

Partilhar:
Share