Marcelo Rebelo de Sousa decretou renovação do estado de emergência

Foto: Presidência da República

Lisboa, 21 nov 2020 (Ecclesia) – O presidente da República Portuguesa decretou esta sexta-feira a decretou hoje a renovação do estado de emergência até às 23h59 de 8 de dezembro, para permitir medidas de contenção da pandemia, elogiando o papel das confissões religiosas neste processo.

“Que se atente no testemunho notável das confissões religiosas, que, desde março, têm dado um exemplo de serviço à comunidade, mesmo quando se trata de datas fundamentais para as suas convicções, para as suas tradições”, disse Marcelo Rebelo de Sousa, numa mensagem ao país, desde o Palácio de Belém.

Mais de oito milhões de portugueses, residentes em 191 concelhos, estão sujeitos este sábado e domingo ao recolher obrigatório a partir das 13h00, decretado pelo Governo.

O presidente da República Portuguesa apelou à solidariedade da população, “num processo tão longo de provação coletiva, assim confirmando a sua responsabilidade cívica e ética”.

A 14 de novembro, após participar na Missa pelas vítimas da Covid-19, promovida pela Conferência Episcopal, em Fátima, Marcelo Rebelo de Sousa tinha elogiado o “comportamento exemplar” da Igreja Católica durante a atual pandemia.

O chefe de Estado deu como exemplo as decisões de abdicar das celebrações públicas, no 13 de maio, e a forma como foi assinalado o 13 de outubro, com lotação limitada no recinto da Cova da Iria, considerando que “foram esforços muito grandes”.

OC

Covid-19: Presidente da República elogia comportamento «exemplar» da Igreja Católica (c/vídeo)

Partilhar:
Share