Responsável questiona gastos militares, num momento em que o Papa e António Guterres apelam a cessar-fogo global

Foto: OMS

Cidade do Vaticano,31 mar 2020 (Ecclesia) – O presidente da Cáritas Internacional, cardeal Luis Antonio Tagle, apelou a um perdão da dívida dos países mais pobres e ao investimento dos gastos militares em áreas como a saúde e educação.

“Agora apercebemo-nos que não temos máscaras suficientes, enquanto os projéteis são abundantes”, afirmou o colaborador do Papa, durante a Missa a que presidiu no último domingo, em Roma, com transmissão para o seu país natal, as Filipinas.

Segundo o prefeito da Congregação para a Evangelização dos Povos (Santa Sé), citado pelo portal ‘Vatican News’, a falta de recursos poderia ser o “túmulo” dos países pobres e seus povos.

Também o Banco Mundial (BM) e o Fundo Monetário Internacional (FMI) defenderam, com efeito imediato, uma suspensão da dívida oficial bilateral dos países mais pobres, entre os quais Moçambique, Cabo Verde, São Tomé e Príncipe e Guiné-Bissau.

No último domingo, o Papa apelou a um cessar-fogo global, em apoio à iniciativa lançada pelo secretário-geral da ONU, António Guterres, para enfrentar as crises provocadas pela pandemia.

Em entrevista ao jornal digital ‘7MARGENS’, Guterres sustenta que “é precisa uma estratégia coordenada de supressão do vírus, sob orientação da OMS”

O secretário-geral das Nações Unidas considera que o apelo do Papa foi “extremamente importante”.

“Esta não é uma crise financeira, é uma crise humana”, acrescentou.

OC

Partilhar:
Share