Papa autoriza transmissão da Missa matinal pela internet, para manifestar proximidade às vítimas

Cidade do Vaticano, 08 mar 2020 (Ecclesia) – O Vaticano anunciou hoje o encerramento dos seus museus até 3 de abril, como forma de prevenir a propagação do Covid-19, em “coordenação com as medidas lançadas pelas autoridades italianas”.

A medida integra um conjunto de indicações dadas hoje aos organismos da Santa Sé e do Estado.

“Essas medidas incluem o encerramento preventivo, até 3 de abril de 2020, dos Museus do Vaticano, do Departamento de Escavações, do Museu das Vilas Pontifícias e dos centros dos Museus das basílicas pontificas”, pode ler-se na nota divulgada pela Sala de Imprensa da Santa Sé.

O Vaticano refere que, até o momento, foi registado “um único caso” positivo nos testes ao Covid-19, relativo a uma pessoa que se deslocou à Direção de Saúde e Higiene para um exame médico necessário para o seu novo emprego; as cinco pessoas que tiveram contato próximo com ele estão em quarentena, por precaução.

A Itália registou já 233 mortos em quase seis mil pessoas detetadas com o novo coronavírus, que pode causar infeções respiratórias como pneumonia; o governo transalpino avançou com uma quarentena que pode afetar cerca de 16 milhões de pessoas em cidades como Milão, Veneza ou Parma.

No Vaticano, o Papa manifestou hoje a sua solidariedade às vítimas da epidemia de Covid-19, presidindo à recitação do ângelus na Biblioteca do Vaticano, para evitar concentração de pessoas na Praça de São Pedro.

“Estou próximo, com a oração, das pessoas que sofrem com a atual epidemia de coronavírus e com todos aqueles que cuidam delas. Lembrei-me muito delas nestes dias de retiro”, disse Francisco.

A audiência geral de quarta-feira também será fechada ao público, com transmissão ao vivo através da internet.

Ainda de acordo com as disposições da Direção de Saúde e Higiene do Estado da Cidade do Vaticano” a “participação de fiéis nas Missas em Santa Marta está suspensa até ao dia 15 de março”, pelo que o Papa celebrará a Eucaristia matinal em privado.

Francisco decidiu autorizar a transmissão ao vivo da celebração – algo que não acontecia até ao momento -, como forma de manifestar a sua proximidade às pessoas doentes, em quarentena.

A partir de segunda-feira, a Eucaristia das 07h00 (menos uma em Lisboa), presidida pelo pontífice na capela da Casa Santa Marta, vai transmitida ao vivo, em streaming, através do portal ‘Vatican News’.

“Em relação ao risco de difusão do Covid-19, o Santo Padre determinou que as Missas por ele celebradas de forma privada na Casa Santa Marta, nos próximos dias, sejam transmitidas ao vivo, para permitir a quem o desejar o acompanhamento das celebrações em união de oração com o bispo de Roma”, disse o diretor da Sala de Imprensa da Santa Sé, Matteo Bruni.

Já a conferência dos bispos católicos da Itália anunciou a suspensão das Missas e funerais em todo o território nacional, em resposta ao decreto do governo para conter a difusão do coronavírus, medida que se aplica até ao dia 3 de abril, apesar de admitir “dificuldades” no acolhimento da decisão.

Em Portugal, estão confirmados 28 casos de infeção e o Governo anunciou a suspensão temporária de visitas em hospitais, lares e estabelecimentos prisionais na região Norte.

OC

Partilhar:
Share