Comunicado da Conferência Episcopal sobre a suspensão da celebração «pública» da Eucaristia referia que as dioceses de Angra e do Funchal dariam «orientações próprias»

Foto: Jornal da Madeira/Duarte Gomes

Lisboa, 21 jan 2021 (Ecclesia) – As comunidades católicas da Madeira e dos Açores vão manter a celebração pública da Missa, de acordo com as orientações próprias das suas dioceses, com atenção à evolução da pandemia.

A Diocese de Angra vai manter as Missas com a presença de fiéis, nos moldes articulados com as autoridades de saúde, “sempre que a situação o permita”.

“Vamos manter o que está articulado com a autoridade de saúde regional, com quem estamos em contacto permanente” referiu D. João Lavrador, em declarações ao portal diocesano ‘Igreja Açores’, destacando que a situação é diferente face à de Portugal Continental e que, mesmo internamente, varia de ilha para ilha no arquipélago.

“Este vai ser o procedimento que vamos continuar a adotar. Sempre que houver uma alteração da situação epidemiológica, que nos obrigue a tomar outra decisão, competirá a quem está no terreno agir de imediato, como sempre temos feito”, disse ainda.

Já na Madeira, as igrejas da Diocese do Funchal “continuarão abertas e a Missa continuará a ser celebrada, com todos os cuidados e medidas preventivas”.

“A Diocese continuará atenta à situação epidemiológica na região”, refere uma nota do gabinete de comunicação local.

A Conferência Episcopal Portuguesa determinou hoje “a suspensão da celebração `pública´ da Eucaristia a partir de 23 de janeiro de 2021, bem como a suspensão de catequeses e outras atividades pastorais que impliquem contacto, até novas orientações”.

A nota dos bispos católicos sublinhava que dioceses das Regiões Autónomas dos Açores e da Madeira dariam “orientações próprias” às comunidades católicas.

OC

Covid-19: Conferência Episcopal suspende celebrações «públicas» da Missa a partir de 23 de janeiro (c/áudio)

Partilhar:
Share