Presidente da Conferência Episcopal Portuguesa refere-se a orientações «fundamentais» a adaptar a cada realidade

Foto: Samuel Mendonça

Setúbal, 16 jul 2020 (Ecclesia) – O presidente da Conferência Episcopal Portuguesa (CEP) disse hoje em declarações à Agência ECCLESIA que vão ser dadas orientações “fundamentais” e “práticas” para a catequese no contexto da pandemia Covid-19.

“Há paróquias onde se podem acomodar facilmente as crianças, jovens, adolescentes, sem perigo nenhum. Por outro lado, há outras onde os espaços são tão exíguos que não se pode fazer tudo como se fazia antes, pelo menos enquanto durar este estado em que estamos a viver ainda de muita incerteza”, disse D. José Ornelas

O presidente da Conferência Episcopal Portuguesa afirmou que “não está em causa o princípio fundamental da vida” nem “pôr a vida de ninguém nem a saúde em perigo”, mas, por outro lado, também não se pode “viver com o vírus do medo o tempo todo”.

A preocupação não é “dar indicações iguais para todos”, mas lembrar informações que garante os cuidados de saúde e a prática catequética no contexto da pandemia, a adaptar a cada realidade diocesana.

“Até agora a experiência que fizemos na Igreja foi muito positiva, no sentido de dizer: podemos celebrar em segurança, mas podemos celebrar juntos”, afirmou.

Para o presidente da CEP e bispo de Setúbal as igrejas “adaptaram-se” e têm tido cuidado, dando como exemplo a Sé sadina, onde tinha acabado de presidir à Missa Crismal com os ritos “adaptados” de acordo com as medidas de segurança.

“Hoje é bom que se tenha essa noção: não é perigoso vir celebrar nas nossas igrejas e também tudo aquilo que se fizer é bom que seja feito com esta marca”, acrescentou.

D. José Ornelas afirmou que a Igreja Católica quer “encontrar pessoas e modos de fazer e de celebrar” que sejam “compatíveis com os cuidados a ter com a pandemia” mas, ao mesmo, tempo “sejam propagadores de nova força e nova energia que as pessoas precisam e o mundo precisa”.

Sobre a catequese no próximo ano pastoral, D. António Moiteiro, bispo de Aveiro e presidente da Comissão Episcopal da Educação Cristã e Doutrina da Fé, disse aos responsáveis dos secretariados diocesanos do setor que 2020/2021 vai exigir grupos mais pequenos e “maior presença online”, numa reunião dia 7 de julho.

A Agência ECCLESIA confirmou, entretanto, com o Secretariado Nacional da Educação Cristã, que coordena departamento da catequese da Conferência Episcopal Portuguesa, que o documento “Orientações para catequese em tempos de pandemia” resulta de um trabalho conjunto com os secretariados diocesanos responsáveis por este setor.

CB/OC/PR

Orientações para a catequese em tempos de pandemia_julho2020

Partilhar:
Share