Bispos pedem «liberdade responsável no Culto e nas atividades pastorais»

Foto João Lopes Cardoso

Lisboa, 30 set 2021 (Ecclesia) – A Conferência Episcopal Portuguesa (CEP) divulgou hoje novas orientações para as celebrações nas comunidades católicas, a partir desta sexta-feira, prevendo o levantamento progressivo das restrições em vigor por causa da pandemia de Covid-19.

“É tempo de ir retomando uma maior participação dos fiéis, abrandando de forma ponderada os distanciamentos e os limites impostos à lotação das nossas igrejas. Entretanto, as outras medidas de proteção – higienização das mãos e uso da máscara – devem manter-se”, indicam os bispos católicos, em nota enviada à Agência ECCLESIA.

A última fase do levantamento das restrições impostas para a controlar a pandemia entra em vigor em Portugal continental na sexta-feira, por decisão do Governo.

A CEP destaca que a evolução do combate à Covid-19 permite “retomar gradualmente, de forma responsável, a normalidade da vida pessoal e comunitária, vivendo, convivendo, celebrando, sendo Igreja”.

“Mantendo-se o apelo a um comportamento responsável, o país assiste ao termo ou mitigação de muitas das medidas de proteção à saúde pública que comportavam restrições aos direitos e liberdade dos cidadãos, nomeadamente na vida social, económica e cultural”, sublinham os bispos.

A CEP deixa um conjunto de novas orientações, quanto ao uso de máscara, a Comunhão ou a recolha da coleta, “com as devidas normas de segurança e de saúde”; a saudação da paz, que é facultativa, continua suspensa e as pias de água benta, junto às entradas da igreja, vão manter-se vazias.

Os bispos determinam que a Comunhão deve continuar a ser ministrada apenas na mão dos fiéis e anunciam o regresso do diálogo prévio, ‘Corpo de Cristo. Amen’, que era feito de forma comunitária desde 2020.

“No tocante à celebração dos demais Sacramentos, Sacramentais e Exéquias cristãs, deverão retomar-se as prescrições dos livros litúrgicos”, pode ler-se.

A CEP prevê que o Sacramento da Penitência deve acontecer com “suficiente distância entre o confessor e o penitente”, devendo ambos usar máscara.

“Com os devidos cuidados, faça-se a visita aos doentes e distribua-se a Comunhão. Nas unções, evite-se o contacto corporal direto, recorrendo ao uso de compressas de algodão que, em seguida, se recolhem e posteriormente serão incineradas”, acrescentam as novas orientações.

Foto João Lopes Cardoso

A CEP refere ainda que as várias atividades pastorais nos espaços eclesiais seguirão “as regras previstas pelas autoridades competentes para situações educativas, sociais e culturais semelhantes”.

A Conferência Episcopal determinara em março o regresso das celebrações públicas da Missa, que tinham sido suspensas em janeiro deste ano pela segunda vez, decorrendo de acordo com as indicações de 8 de maio de 2020.

“Nesta hora de ação de graças a Deus, queremos também exprimir o nosso reconhecimento a quantos deram um contributo significativo neste duro combate pela saúde, que ainda não terminou. Diante do Deus da Vida, em atitude de oração, fazemos memória dos inúmeros irmãos e irmãs que mais sofreram com esta pandemia e suas consequências, sobretudo daqueles que faleceram e suas famílias”, conclui o texto divulgado hoje pelos bispos católicos.

OC

Partilhar:
Share