Secretário-geral do episcopado fala em momento de unidade e solidariedade

Lisboa, 21 jul 2020 (Ecclesia) – A Conferência Nacional de Bispos do Brasil lamentou a morte de bispos e padres atingidos pela Covid-19, falando num momento de unidade e solidariedade no segundo país do mundo com maior número de casos e mortes na pandemia.

“A morte é sempre cruel, ainda mais quando chega do modo devastador como está acontecendo na pandemia”, disse D. Joel Portella, secretário-geral da CNBB.

Desde o início da pandemia no Brasil, dois bispos morreram por causa da Covid-19: D. Henrique Soares da Costa, bispo de Palmares, que faleceu na noite do último sábado, aos 57 anos de idade; e D. Aldo Pagotto, arcebispo emérito da Paraíba, que faleceu em abril, aos 70 anos.

“A esperança é a da feliz ressurreição para D.  Henrique Soares e todos que a morte ceifou de junto de nós. Como cristãos, somos anunciadores da Ressurreição e é nessa hora que nossa fé é ainda mais testada”, apontou D. Joel Portella.

O responsável sublinhou a necessidade de enfrentar a pandemia com tranquilidade, união de forças, apoio mútuo, solidariedade e resiliência.

“Devemos isso a todas as vítimas da Covid-19, ao nosso país e às gerações futuras. Deus, que acolheu os mortos pela pandemia, nos fortalece no cuidado de nós mesmos e uns dos outros”, reiterou o secretário-geral da CNBB.

Além dos dois óbitos, há quatro bispos em tratamento e recuperação, bem com outros quatro casos dados como curados da Covid-19.

A CNBB informa que “cresce também o número de padres do Brasil” acometidos pela doença, prometendo para breve um levantamento completo do número de sacerdotes afetados.

OC

Partilhar:
Share