Algumas celebrações foram canceladas devido à pandemia

Foto Duarte Gomes – D. Nuno Brás

Funchal, 25 Jan 2021 (Ecclesia) – O Dispo do Funchal escreveu uma carta endereçada aos sacerdotes onde deixa “algumas indicações práticas”, perante “o tempo de incertezas” que se vive.

No documento, D. Nuno Brás, refere que “fica adiada a celebração do Dia Diocesano da Família”, agendado para dia 31 deste mês, lê-se no Jornal da Madeira.

Em relação aos retiros dos sacerdotes, o Bispo do Funchal adianta que o retiro do clero previsto para Março, em Porto Santo, “não se irá realizar”, visto que “a casa não tem possibilidade de acolher os participantes”, mas também devido “à necessidade de prever algum surto de Covid-19 entre os idosos”.

A peregrinação das relíquias de São Tiago Menor, prevista para o mês de abril, “foi adiada para outubro, devido à situação da pandemia”.

Em princípio, refere D. Nuno Brás, essa peregrinação será de 16 de outubro a 6 de novembro.

A este respeito adianta ainda que “em breve será publicado o programa completo das comemorações dos 500 anos do voto a São Tiago.

No que concerne ao Dia do Consagrado, D. Nuno Brás explica que será “convidada apenas um/uma representante por cada comunidade religiosa presente na diocese, para a Eucaristia de 2 de fevereiro às 16:30 horas, na Sé”.

Quanto à Quaresma, o prelado pede que se “observe o que foi determinado pela Congregação para o Culto Divino acerca das cinzas e sua imposição”.

Nessa altura, caso a situação continue como agora, o bispo do Funchal determina que as Vias-sacras e Procissões dos Passos da Quaresma sejam “celebradas apenas dentro das igrejas no respeito das normas sanitárias”.

Apesar das restrições o Bispo do Funchal pede para que “não falte a possibilidade da celebração do sacramento da reconciliação durante a Quaresma”.

D. Nuno Brás, pede ainda que “todas as outras reuniões e encontros se realizem apenas por via zoom” e que, quando isso não seja possível, as mesmas sejam adiadas ou canceladas.

O prelado pede ainda a cada sacerdote que “cuide em não correr riscos desnecessários de infeção ou mesmo de confinamento profilático, de modo a garantir a celebração da Eucaristia e os serviços indispensáveis” e lembra que estes devem recordar aos fiéis, sempre que tal seja necessário, “como estar e comungar em segurança: uso de álcool-gel, uso de máscara, distâncias a manter e percursos a usar”.

LFS

Partilhar:
Share